A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

15/08/2011 14:35

A cada quatro novas indústrias de MS, três são instaladas em Campo Grande

Vinícius Squinelo

Incentivos fiscais e mão-de-obra qualificada tendem a trazer ainda mais indústrias para a Capital de MS

Quarta indústria de confecção foi inaugurada nesta segunda-feira, 15, em Campo Grande. (foto João Garrigó)Quarta indústria de confecção foi inaugurada nesta segunda-feira, 15, em Campo Grande. (foto João Garrigó)

A inauguração de mais uma fábrica de confecção, a quarta da cidade e a 14ª empresa de grande porte do setor, demonstra a tendência de industrialização vivida por Campo Grande nestes últimos anos, pelo menos é o que acredita o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, de Ciência e Tecnologia e do Agronegócio (Sedesc), o vice-prefeito Edil Albuquerque.

“Descobriram Campo Grande, isto é o que posso dizer. Estamos trabalhando, com incentivos e o resultado está vindo rapidamente”, destacou Edil, durante inauguração da empresa Kabriolli, no Pólo Industrial de Campo Grande. “Aqui, por exemplo, já estamos sem lugar para alojar empresas”, relatou o vice-prefeito.

Edil comentou que é difícil quantificar a quantidade de indústrias na cidade, mas relatou que somente o setor das confecções, que empresa 2,5 mil pessoas, gera cerca de 10 a 15 bilhões de reais por mês.

“Hoje, em em cada quatro indústrias instaladas em MS são em Campo Grande, e já estamos conversando com mais empresas que virão para cá”, comentou Edil.

Presente na inauguração, o governador André Puccinelli (PMDB) destacou o Programa de Desenvolvimento Econômico e Social iniciado em sua gestão como prefeito da Capital. Segundo André, incentivos municipais, como doação de terrenos, e do governo estadual, como a redução do ICMS, são de suma importância para a industrialização do estado. “Podem ir em qualquer estado no Brasil, ninguém dá os incentivos que nós damos”, garantiu André.

Edil Albuquerque, secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, de Ciência e Tecnologia e do Agronegócio. (foto: João Garrigó)Edil Albuquerque, secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, de Ciência e Tecnologia e do Agronegócio. (foto: João Garrigó)

Já o prefeito Nelsinho Trad, também do PMDB, fez questão de ressaltar que o trabalho contínuo gera uma mais efetiva atração de indústrias para a Capital.

Mão-de-Obra-Ao mesmo tempo um atrativo e uma dificuldade, a qualificação do profissional de MS ainda é desafio para as empresas e autoridades.

“Temos hoje 220 funcionários, e só não temos mais porque não encontramos pessoal qualificado”, comentou Davi Bacellar, proprietário da indústria de confecção inaugurada hoje.

O prefeito Nelsinho afirmou conhecer o problema, e garante que ações estão sendo realizadas para treinar a mão-de-obra campo-grandense.

Por outro lado, o vice-prefeito Edil comentou que, mesmo com as dificuldades enfrentadas com a falta de capacitação, este é justamente um ponto que Campo Grande leva vantagem das outras cidades de MS, em especial Três Lagoas, o que torna a Capital mais atrativa para os empresários.

Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...
Consumidor terá 30 dias para contratar serviço de esgoto antes de ser multado
Será apresentado às 9h de segunda-feira (18) um termo de parceria entre o Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato ...


Esperamos que esse ritmo permaneça por mais 20 anos em nossa capital, ainda sem vocação. Se os nossos governantes conseguirem isso, muito bom. Mas não esqueçam que a cidade precisa de infra, segurança, saúde, educação e entretenimento pra esticar o ritmo de crescimento. Não precisamos de empresas enormes, precisamos de muitas empresas pequenas e médias e que o governo não pare NUNCA de incentivar! O genocídio fiscal que se comete com as grandes empresas, ás vezes, não compensa.
 
Pridiliano Rosa Pires Neto em 16/08/2011 11:06:59
O problema é que apenas uma Petrobras que se instala em Três Lagoas, equivale a dezenas, para não dizer centenas, das pequenas fábricas que vêm à Capital.
Quantidade de indústrias é bom. Mas quantidade de empregos e dinheiro movimentado na economia é o que realmente importa.
 
Eduardo Vieira em 15/08/2011 06:14:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions