A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Agosto de 2019

08/07/2019 13:51

Acordo com União Europeia vai ajudar agricultura de MS, diz ministra

Tereza Cristina disse que produtos locais terão acesso ao mercado europeu, em melhores condições

Leonardo Rocha
Ministra Tereza Cristina (centro), ao lado do presidente do TJ-MS, Paschoal Carmello Leandro (esquerda) e deputado Paulo Corrêa (PSDB) à direita (Foto: Henrique Kawaminami)Ministra Tereza Cristina (centro), ao lado do presidente do TJ-MS, Paschoal Carmello Leandro (esquerda) e deputado Paulo Corrêa (PSDB) à direita (Foto: Henrique Kawaminami)

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse que o acordo do Mercosul (Mercado Comum do Sul) com a União Europeia para comércio entre os países, vai ajudar a agricultura de Mato Grosso Sul e de todo Brasil, já que haverá mais competitividade dos produtos locais, em alguns casos, com “cota zero” de impostos.

“Toda agricultura vai se beneficiar, pois assim ela ficará mais competitiva, isto tem haver também com os pequenos produtores, que assim vão agregar valor aos seus produtos”, disse a ministra, durante entrega e patrulhas mecanizadas, na Praça do Rádio Clube, em Campo Grande.

Tereza citou que alguns produtos locais, como pimenta, mel, rapadura e outros itens poderiam ser exportados, com valor agregado. “Todos estes países que fazem parte da União Europeia poderiam conhecê-los (produtos), são 27 países, e agora poderemos jogar de igual para igual”, ponderou.

A ministra citou que neste acordo, de livre mercado, alguns produtos ficaram com “cota zero” de impostos e tarifas, que antes tiravam a competitividade no mercado europeu. “Brasil alimenta mais de 190 países no mundo, por este peso nós é que batemos o martelo para que este acordo fosse firmado”.

Regularização – Tereza adiantou que aos pequenos produtores, a partir de agosto, vai começar a fase de regularização fundiária em todo Brasil. “Faremos o maior número de títulos possíveis, até porque o produtor precisa ser o dono do seu nariz, para conseguir crédito e aumentar sua produção”, pontuou.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) também citou que sua equipe estuda conceder gratuidade no pagamento da escritura, para o primeiro dono do lote. “Conceder a titularidade dos assentamentos é essencial, para o produtor ser dono de fato da terra. Neste sentido o Ministério (Agricultura) terá papel fundamental”.



Eis a grande questão que envolve esse famigerado acordo.
O acordo com UE só favorece a agricultura, um setor que nunca apresentou grandes dificuldades para exportação.
Já a indústria será grandemente prejudicada, motivo pelo qual esse acordo vinha sendo negociado há décadas.
Mas como o atual governo atua na contramão dos interesses brasileiros, a assinatura vendo sendo comemorado como um grande negócio.
Na verdade é uma burrice sem tamanho.
 
Critico em 08/07/2019 22:12:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions