A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

19/11/2014 13:38

Arrecadação com IPVA vai ajudar prefeituras em crise financeira, diz André

Luciana Brazil e Leonardo Rocha
Governador aposta em arrecadação maior de IPVA. (Foto: Marcelo Calazans)Governador aposta em arrecadação maior de IPVA. (Foto: Marcelo Calazans)

A arrecadação do IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores) de 2015 deverá ajudar as prefeituras que vivem uma crise financeira em Mato Grosso do Sul, como afirmou na manhã de hoje (19) o governador André Pucinelli (PMDB). Ele acredita que o valor recolhido com o imposto seja quase o dobro em relação ao ano anterior. 

"No ano passado esse valor foi entre R$ 6 e R$ 7 milhões. Agora esperamos chegar a R$ 12, R$ 13 milhões". Pucinelli frisa que a divulgação foi intensificada o que pode atrair o contribuinte. 

"Estamos intensificando a divulgação e vamos pedir para que os prefeitos façam o mesmo. E tem a mudança do desconto de 10 a 15%, que veio com a lei do Marquinhos Trad (deputado- PMDB), que deve incentivar o pagamento”, disse o governador.

Prefeituras como a de Campo Grande e Rio Negro, a 144 quilômetros da Capital, que estão enxugando os gastos para cumprir com pagamentos, devem se beneficiar com a arrecadação.

Metade do que é recolhido com o imposto é destinada ao governo e o restante entregue às prefeituras. Segundo Pucinelli, o valor será repassado aos municípios ainda durante o seu mandato.

Os carnês serão entregues a partir do dia 1° dezembro. “Não vai ter antecipação, nós vamos lançar como fazemos todo ano, na mesma época. Metade fica com o governo e metade com as prefeituras. Já mandei preprar os carnês de IPVA que deve estar na praça a partir de 1° de dezembro”.

 

Caixa Econômica Federal não usará empréstimo do FGTS em 2018
Apesar da necessidade de cumprir padrões mais elevados de segurança financeira a partir de 2019, a Caixa Econômica Federal não usará o empréstimo de ...
Déficit deverá ficar até R$ 40 bilhões abaixo da meta, diz ministro
O déficit primário – rombo nas contas do governo excluindo os juros da dívida pública – em 2017 deverá ficar de R$ 20 bilhões a R$ 40 bilhões abaixo ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions