A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 23 de Abril de 2017

15/03/2017 08:01

Cadeira de rodas, próteses e cirurgia plástica podem ser declarados no IR

Renata Volpe Haddad
Remédios comprados em farmácias não entra na declaração do Imposto de Renda. (Foto: Divulgação)Remédios comprados em farmácias não entra na declaração do Imposto de Renda. (Foto: Divulgação)

São muitas as dúvidas em relação à declaração do Imposto de Renda, principalmente com despesas médicas. Afinal, o que deve ou não, ser deduzido na declaração? Segundo a Receita Federal, até cirurgia plástica mesmo para fins estéticos, pode ser declarado.

Quem explica melhor é a coordenadora do curso de Ciência Contábeis da Uniderp, Iara Marchioretto. Ela diz que as despesas médicas devem ser especificadas e comprovadas mediante documentação hábil e idônea.

"São consideradas despesas médicas ou de hospitalização, os pagamentos feitos a médicos de qualquer especialidade, sejam dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, hospitais", define.

Pode ser declarado também, despesas de exames laboratoriais, como serviços radiológicos, aparelhos ortopédicos e próteses ortopédicas e dentárias. Para isso, é necessário a comprovação com receituário médico ou odontológico e nota fiscal em nome do beneficiário.

Em relação a internação, para fazer a declaração, é preciso da nota fiscal do hospital. "Isso inclui também vacinas e medicamentos relacionados com as despesas médicas, mas é preciso que entre na nota fiscal do hospital", explica.

O que não entra na declaração, ou seja, que não são dedutíveis, são compras de medicamentos em farmácias. "Os gastos com medicamentos, inclusive vacinas, não podem ser deduzidos como despesas médicas, a não ser que integrem a conta emitida pelo hospital".

Cirurgia plástica e cadeira de rodas - Conforme informações da Receita Federal, são dedutíveis da base de cálculo do Imposto de Renda, cirurgia plástica, reparadora ou não, com a finalidade de prevenir, manter ou recuperar a saúde, física ou mental, do paciente.

Porém, as despesas com prótese de silicone não são dedutíveis, a não ser quando o valor integrar a conta emitida pelo hospital, relativamente a uma despesa médica dedutível.

Com relação a cadeira de rodas, a Receita considera aparelhos ortopédicos e próteses ortopédicas pernas e braços mecânicos, cadeiras de rodas, andadores ortopédicos, palmilhas e calçados ortopédicos, e qualquer outro aparelho ortopédico destinado à correção de desvio de coluna ou defeitos dos membros ou das articulações. Ou seja, elas podem sim entrar na declaração do Imposto de Renda.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions