A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

05/05/2012 19:20

Campo Grande lidera índice de responsabilidade fiscal entre capitais

Aline dos Santos

O raio-x das cidades foi divulgado em levantamento da Confederação Nacional dos Municípios

Campo Grande segue na dianteira de ranking nacional. (Foto: Minamar Júnior)Campo Grande segue na dianteira de ranking nacional. (Foto: Minamar Júnior)

Campo Grande lidera, mais uma vez, o ranking do IRFS (Índice de Responsabilidade Fiscal, Social e de Gestão) entre as capitais brasileiras. O raio-x das cidades foi divulgado em levantamento da CNM (Confederação Nacional dos Municípios). Nesta edição, o IRFS traz dados comparativos dos resultados entre 2002 e 2010.

O estudo mostra que Campo Grande, além de seguir consolidada desde 2007 na liderança entre as capitais, foi a que teve maior crescimento no índice geral. Conforme o levantamento, quando comparadas as capitais dos Estados, a capital de Mato Grosso do Sul se destaca no crescimento de seu índice no período, passando de 0,476 para 0,507, um aumento de 6,7%. Quanto maior o índice, melhor estão as finanças.

“Para o balanço fiscal ser positivo, são necessários dois fatores. O primeiro é questão da receita, ter criatividade para bolar formas de obter receita. O segundo é a organização das despesas. Vejo esse resultado com muita alegria. É o trabalho de uma equipe que prima pela responsabilidade e, mais do que isso, pela transparência”, salienta o prefeito Nelsinho Trad (PMDB).

A outra capital com crescimento expressivo foi Florianópolis (Santa Catarina), com aumento de 3,6%, seguida por Belém (Pará), com aumento de 3,3%. O pior desempenho foi de João Pessoa (Paraíba) que decresceu 23,5% do seu índice no período.

No ano de 2010, a capitais com maior IRFS são Campo Grande (0,507), seguida de Teresina (Piauí), com índice de 0,505, e Santa Catarina (0,498).

A saúde financeira de Campo Grande também pode ser medida pela LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), que prevê orçamento de R$ 2,6 bilhões para 2013, crescimento de 5,50 % em relação ao orçamento de 2012.

Interior - Criado pela CNM, o IRFS reflete, anualmente, o desempenho dos municípios sob as óticas fiscal, social e de gestão. Além dos indicadores fiscais, são comparados dados como custeio da máquina, esforço de investimento, superávit primário e performance nas áreas de saúde e educação. Além do índice geral, o IRFS tem três subdivisões: Fiscal, Gestão e Social.

Nos subíndices, são listados os cem melhores municípios do IRFS em 2010. Mato Grosso do Sul aparece apenas no critério social, representando pelo município de Alcinópolis.

Já Brasilândia aparece na lista dos municípios com maiores avanços no IRFS entre os anos de 2002 e 2010, com amento de 26,5%.

Panorama nacional - A quinta edição do estudo mostra que a crise de 2029 refletiu na gestão dos municípios durante o ano de 2010. De acordo com os dados, o desempenho social e de gestão das prefeituras teve queda em relação ao ano anterior.

Para a CNM, o fenômeno pode ter sido causado por duas hipóteses: a lenta e gradual recuperação da crise econômica mundial e o segundo ano de mandato. Na dimensão fiscal, houve melhora na arrecadação própria ao longo dos anos.

Na estimativa geral do IRFS com dados de 2010, o município de Bom Jardim (SC) foi o mais bem colocado – obteve a maior nota de todos. Seguido de Caseiros (RS), Bilac (SP), Louveira (SP) e Pirapó (RS).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions