A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 23 de Setembro de 2017

05/09/2017 13:53

Campo Grande tem a maior queda do preço da cesta entre as capitais

Variações foram de -7,09 em agosto, de -12,98% no ano e de -19,46% em 12 meses

Osvaldo Júnior
No carrinho de compra está menos caro em Campo Grande (Foto: Arquivo)No carrinho de compra está menos caro em Campo Grande (Foto: Arquivo)

Comprar alimentos em Campo Grande ficou R$ 27,03 mais barato no intervalo de um mês. A redução, que em termos relativos foi de 7,09%, fez com que a cidade liderasse a relação das menores variações entre as 24 capitais pesquisadas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). Campo Grande também apresenta as maiores quedas neste ano e no intervalo de 12 meses. 

Em agosto, o valor da cesta de alimentos em Campo Grande foi de R$ 355,09 e, no mês anterior, de R$ 382,12. Essa despesa considera o consumo médio de uma família de quatro pessoas relativo a 13 produtos (carne, leite, feijão, arroz, farinha, batata, tomate, pão, café, banana, açúcar, óleo e manteiga).

Com exceção do café, com expressiva alta de 13,17%, da manteiga (11,73%) e pão (0,61%), os demais itens ficaram mais baratos. As redução mais acentuadas foram verificadas nos preços do tomate (-26,84%), feijão (-22,39%), banana (-10,89%), açúcar (-6,94%) e batata (-6,84%).

Com a variação de -7,09%, Campo Grande está no topo das capitais mais baratas em se tratando de cesta básica. Depois, contabilizando as quedas mais expressivas, estão Salvador (-7,05%), Natal (-6,15%) e Recife (-5,84%).

Por outro lado, apresentaram altas as cidades de Goiânia (0,04%), Maceió (0,91%) e Boa Vista (1,40%). Porto Alegre foi a cidade com a cesta mais cara (R$ 445,76), seguida por São Paulo (R$ 431,66) e Florianópolis (R$ 426,30). Os menores valores médios foram observados em Salvador (R$ 332,10), Natal (R$ 336,12) e Recife (R$ 340,54). 

Tomate deixou de ser vilão e apresentou a maior queda de preço entre os alimentos (Foto: Arquivo)Tomate deixou de ser vilão e apresentou a maior queda de preço entre os alimentos (Foto: Arquivo)

Em 12 meses – Considerando o período de 12 meses, o valor da cesta apresentou redução em todas as cidades pesquisadas. Também neste comparativo, Campo Grande tem a menor variação (-19,46%). Em segundo lugar, está Aracaju, com redução bem menos acentuada que a capital sul-mato-grossense (-4,455%).

No ano – Quando o recorte é referente aos meses deste ano (janeiro a agosto), novamente Campo Grande tem o menor índice (-12,98%). Na sequência, estão Cuiabá (-11,79%), Manaus (-9,39%) e Belém (-8,50%). Neste comparativo, somente Aracaju (1,19%) apresentou variação positiva.

Salário necessário – De acordo com o Dieese, em agosto deste ano, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas, considerando o valor médio nacional da cesta, deveria equivaler a R$ 3.744,83, ou quatro vezes o mínimo de R$ 937,00.

Dólar tem dia de ajustes das recentes altas e fecha em queda
A sexta-feira, 22, foi marcada por ajustes para baixo no dólar tanto ante o real quanto em relação às moedas emergentes e ligadas a commodities, após...
Azul anuncia novas rotas em novembro e dezembro
A Azul Linhas Aéreas anunciou novas rotas para diversos destinos brasileiros, a partir de novembro, criando novas opções para voar pela companhia. Em...
Governo desbloqueia R$ 12,8 bilhões do Orçamento
O aumento da meta de déficit fiscal permitiu ao governo liberar R$ 12,8 bilhões do Orçamento que estavam contingenciados (bloqueados), informou o Min...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions