A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

01/09/2017 20:10

Cautela reduz perdas do dólar, mas moeda termina no patamar de R$ 3,14

Niviane Magalhães, da Agência Estado

O dólar fechou em queda, mas reduziu as perdas ante o real nesta tarde de sexta-feira, 1, uma vez que os investidores assumiram uma posição mais defensiva - em torno dos R$ 3,14 -, se preparando para o final de semana. Contribuiu também para este movimento uma invertida do Dollar Index - que mede a moeda americana contra uma cesta de seis moedas fortes - que passou a subir em meio a uma releitura do relatório de emprego nos EUA (payroll), impactos sobre o euro e um indicador americano de indústria positivo.

"Já é rotina o investidor assumir posição defensiva na sexta-feira à tarde por causa do final de semana. Além disso, depois que o dólar atingiu o patamar dos R$ 3,13, abriu oportunidade de compra", disse o diretor de câmbio da Abrão Filho, Fernando Oliveira.

De acordo com profissionais do mercado, a busca por proteção foi mais acentuada por parte dos investidores estrangeiros, uma vez que segunda-feira (4) é feriado do Dia do Trabalho nos EUA.

Entre os motivos destacados para a cautela estão a possibilidade de nova denúncia contra o presidente Michel Temer e eventuais delações, entre elas, a do doleiro Lúcio Funaro, que retornou ao Supremo Tribunal Federal (STF) ontem, após passar por ajuste na Procuradoria-Geral da República (PGR), com quem o investigado firmou o acordo.

Pela manhã, o dólar chegou a cair com força ante o real, após a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB), que cresceu 0,2% no segundo trimestre ante o primeiro.

Corroborou para uma perda mais forte no câmbio mais cedo o relatório de empregos nos EUA, que mostrou criação de 156 mil vagas em agosto, abaixo da expectativa de geração de 179 mil postos. No entanto, durante a tarde, houve uma releitura do resultado, com alguns analistas observando que a economia americana já está em pleno emprego e que criação mensal acima de 150 mil vagas é suficiente para um aperto monetário. Esta percepção vez com que o Dollar Index passasse a subir.

Outros pontos contribuíram para o fortalecimento do dólar no exterior, movimento que foi replicado internamente. Após atingir máximas em reação ao payroll, o euro passou a se enfraquecer na esteira de relatos de que o Banco Central Europeu (BCE) pode adiar a decisão final sobre o programa de relaxamento quantitativo (QE) do ano que vem. Além disso, o índice de gerentes de compras (PMI) do setor industrial dos EUA calculado pelo ISM subiu a 58,8 em agosto, de 56,3 em julho.

No mercado à vista, o dólar terminou em baixa de 0,13%, aos R$ 3,1451. O giro financeiro somou US$ 1,10 bilhão. Na mínima, a moeda ficou em R$ 3,1231 (-0,83%) e, na máxima, aos R$ 3,1481 (-0,04%).

No mercado futuro, o dólar para outubro caiu 0,22%, aos R$ 3,1535. O volume financeiro movimentado somou US$ 14,33 bilhões. Durante o pregão, a divisa oscilou de R$ 3,1340 (-0,83%) a R$ 3,1590 (-0,04%).

Procon da Capital abre campanha para orientar comércio e consumidor no Natal
O Procon (Subsecretaria de Proteção e Defesa do Consumidor) de Campo Grande dá início nesta segunda-feira (18) a uma semana de orientação e atendimen...
Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions