ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, SÁBADO  04    CAMPO GRANDE 31º

Economia

Claro demite dois funcionários após cliente ser chamado de “otário chorão”

Por Vinicius Squinelo | 21/11/2013 22:03

A Claro TV de Campo Grande demitiu dois funcionários após um cliente da empresa ter sido xingado de “otário chorão” na fatura do serviço. O anúncio das demissões ocorreu nesta quinta-feira (21), em nota oficial, porém a empresa preferiu não dar detalhes sobre a conduta dos agora ex-funcionários.

Em nota, a Claro TV disse que "este tipo de conduta não está de acordo com princípios e valores da empresa".
Mesmo com as demissões, a empresa ainda não se livra automaticamente de processo judicial, e pode ser multada em até R$ 3 milhões.

O caso veio à tona na terça-feira (19). O empresário de Campo Grande Cesar Medeiros, 42 anos, recebeu a fatura da televisão por assinatura com o xingamento “otário chorão” no lugar onde se escreve o nome do destinatário.

Indignação - Cliente da Claro há mais de sete anos, Cesar disse que entrou em contato com a empresa para participar de uma promoção da televisão por assinatura, mas não conseguiu.

“Vi na internet que o valor da tv por assinatura estava mais barato do que o que eu pagava. Entrei em contato com eles para me incluir na promoção. Mas eles disseram que o valor só era válido para clientes novos”. Cesar lembra que ligou apenas uma vez para a Claro.

No mês seguinte, além do xingamento, a fatura chegou com valores de cancelamento e ativação do produto de televisão por assinatura, o que ele não tinha feito. "Eu pagava R$ 169 e a fatura veio com o valor de R$ 215", explicou.

“Quase 20 dias depois da minha ligação a fatura chegou à minha casa e eu quase não acreditei”, afirmou.

Cesar entrou em contato com a empresa, questionando a correspondência, mas não recebeu resposta. "Tentei resolver o problema diretamente com eles e me pediram que eu esperasse 48 horas, mas não retornaram". Porém, o valor da conta foi corrigido pela empresa.

Agora, Cesar pretende esperar até segunda-feira (25) para tomar uma decisão sobre o caso.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário