A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

02/09/2009 19:18

Conforme previsto, Copom mantém taxa de juros em 8,75%

Redação

O Comitê de Política Monetária do Banco Central manteve a taxa básica de juros, a Selic, em 8,75%.

A decisão interrompe a sequência de quedas da Selic, que há cinco reuniões seguidas vinha sofrendo reduções. O percentual foi apontado pela maioria dos analistas financeiros ouvidos pela boletim Focus do BC, que, semanalmente, pesquisa a expectativa do mercado em relação aos parâmetros econômicos.

A nota distribuída pelo Copom diz que "tendo em vista as perspectivas para a inflação em relação à trajetória de metas", o colegiado decidiu manter a taxa, sem viés, ou seja, sem possibilidade de mudar antes da próxima reunião, e por unanimidade. E acrescenta que "levando em conta, por um lado, a flexibilização da política monetária implementada desde janeiro e, por outro, a margem de ociosidade dos fatores produtivos, entre outros fatores, o comitê avalia que esse patamar de táxa básica de juros é consistente com um cenário inflacionário benigno".

O Copom também afirma que o cenário favorável contribui para "assegurar a manutenção da inflação na trajetória de metas ao longo do horizonte relevante e para a recuperação não inflacionária da atividade econômica".

Com a decisão de hoje (2), o Copom interrompe a flexibilização da política monetária pelos próximos 45 dias e, só na reunião agendada para os dias 20 e 21 de outubro, reavaliará a possibilidade de revisão da taxa, para mais ou para menos, dependendo do contexto macroeconômico mundial.

O Brasil permanece em quarto lugar no ranking mundial de juros reais, considerando-se a expectativa de inflação para os próximos 12 meses. Descontada a projeção do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o Brasil fica com juros reais de 4,5% ao ano. Os três países que encabeçam a lista são a China (7,2%), a Tailândia (5,9%) e a Argentina (4,7%), de acordo com levantamento da consultoria UpTrend.

Em se tratando de taxa nominal, os 8,75% do Brasil também ficam em quarto, atrás da Venezuela (16,7%), da Rússia (10,8%) e da Argentina (10,5%).

Índice usado em contratos de aluguel acumula queda de 0,68% em 12 meses
O IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), usado no reajuste de contratos de aluguéis, acumula queda (deflação) de 0,68% em 12 meses, de acordo com ...
Empresas têm até 20 de dezembro para optar pela antecipação do eSocial
Empresas podem optar pela antecipação da implantação do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSoci...
Prazo para regularizar débitos com fisco estadual vence na sexta-feira
Contribuintes que possuem débitos com o fisco estadual têm até sexta-feira (15) para aderirem ao Refis (Programa de Recuperação Fiscal) de Mato Gross...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions