ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUARTA  27    CAMPO GRANDE 11º

Economia

Conta de luz em MS fica 6,9% mais cara a partir de julho

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) atendeu ao adiamento a pedido da Energisa

Por Adriano Fernandes | 07/04/2020 22:08
Torre de distribuição de energia em Campo Grande. (Foto: Arquivo)
Torre de distribuição de energia em Campo Grande. (Foto: Arquivo)

O reajuste de energia para os consumidores atendidos pela Energisa em Mato Grosso do Sul foi adiado para o dia 1º de julho de 2020. A nova tarifa terá elevação de 6,9%.

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) atendeu ao adiamento a pedido da própria concessionária. Os valores que deixarem de ser arrecadados nesse período serão cobrados de forma parcelada a partir de 2021.

Com o reajuste em unidades de baixa tensão como residências, a elevação será de 6,89% e em alta e média tensão, como indústrias a elevação chega a 6,93%. O reajuste tarifário é um processo regulado pela Aneel, previsto no contrato de concessão da empresa.

Entre as regras estabelecidas nos contratos estão a metodologia de cálculo, o valor da tarifa que poderá ser reajustado anualmente , entre outras especificidades.  A tarifa final do consumidor da Energisa Mato Grosso do Sul contém 36% de encargos e impostos.

A parte que cabe à distribuidora de energia representa 27% da composição da tarifa. No Estado a concessionária atende mais de 1 milhão de consumidores  em 74 municípios.