A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 27 de Julho de 2017

10/07/2017 12:30

Criatividade é palavra-chave para lidar com gastos até 80% maiores nas férias

Economista da dicas para as famílias não se endividarem durante recesso escolar dos filhos

Renata Volpe Haddad e Ricardo Campos Jr
Maria Flor e Samuel aproveitam as férias de julho na sorveteria. (Foto: Arquivo Pessoal)Maria Flor e Samuel aproveitam as férias de julho na sorveteria. (Foto: Arquivo Pessoal)

As férias escolares de julho podem significar descanso para os filhos, mas para os pais a situação é totalmente contrária. Além de cansaço físico, ter os filhos em casa pode resultar em aumento de quase 80% nos gastos mensais. Para evitar dívidas, a dica é usar a criatividade em brincadeiras e buscar promoções.

A recepcionista Raquel Aparecida Grein, 29, classifica o aumento de gastos nas férias de julho, estrondosos. "Nesse mês é matrícula que tem que renovar, material para comprar, roupas, comidas, passeios em shopping, cinema", comenta.

Raquel diz que normalmente, gasta com Bruno, o filho de 5 anos, R$ 450, mas nas férias, o valor dos gastos sobe quase 77%. "É muita coisa que a gente faz durante as férias e tudo é caro demais. Com ele em casa, gasto cerca de R$ 800".

A dona de casa Samara Muzili, 26, diz que nunca parou para fazer as contas de quanto gasta quando a filha, Gabriela Júlia, de 6 anos, está de férias em casa. "Como eu não trabalho, ela fica comigo e não preciso gastar com babá ou alguém para cuidar. Mas vamos mais ao cinema, shopping, passeamos mais. As compras de supermercado são mais caras também, porque acabamos comprando mais guloseimas do que o normal", conta.

Professora, Flávia Lais Alarcon, 28, usa a criatividade para não gastar muito com os filhos, Samuel de 8 anos e Maria Flor, de 4 anos, nas férias. A mãe relata que ao invés de ir ao cinema, aluga um filme em casa. "Eu evito shopping porque é uma perdição para as crianças. Tem cinema, brinquedos, lanches. Faço cinema em casa, gasto só com lanches e eles assistem com os amiguinhos do condomínio também", afirma.

Em casa, Flávia diz que gasta R$ 11 com um filme, se fosse ao cinema, não gastaria menos de R$ 100. "E como tem as crianças do condomínio, meus filhos não ficam pedindo para sair toda hora. Em Campo Grande descobri várias apresentações gratuitas, como teatro, contação de histórias, semana do circo. São coisas de qualidade e eu gasto bem pouco".

Samara e a filha, Gabriela, passeiam bem mais durante as férias escolares da criança. (Foto: Marcos Ermínio)Samara e a filha, Gabriela, passeiam bem mais durante as férias escolares da criança. (Foto: Marcos Ermínio)

Criatividade - Pensar em brincadeiras, ir em matinês e encontrar programações para crianças em promoções, são as dicas do economista, Sérgio Bastos. Segundo ele, é difícil encontrar uma fórmula de economia para cada família, já que cada uma tem uma rotina, mas o segredo está em usar a criatividade.

"Em casos de cinema, por exemplo, há dias com ingressos mais baratos e matinês. Os pais devem procurar uma programação que custe menos do que em dias mais procurados, como fins de semana. Cinema geralmente tem programa particular que carrega outros gastos, como doce, alimentação. Por isso tem que ser tudo bem programado".

Outra dica é buscar informações de brincadeiras na internet, grupos de ajuda de mães que fazem reunião com os filhos. "A internet pode ajudar muito em casos como esse, é preciso que os pais usem a criatividade mesmo e brinquem com os filhos, economizando e interagindo com as crianças", informa.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions