A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

06/08/2013 23:59

Custo da Cesta Básica cai 1,66% em julho e causa alívio ao bolso

Viviane Oliveira
O tomate que chegou a custar R$ 9, hoje pode ser encontrado por R$ 2,49.  (Foto: divulgação) O tomate que chegou a custar R$ 9, hoje pode ser encontrado por R$ 2,49. (Foto: divulgação)

O custo da Cesta Básica em julho teve queda de 1,66% em relação ao apurado no mês anterior, em Campo Grande, segundo dados de uma pesquisa realizada pela Semac (Secretaria de Planejamento do Estado).

Os 15 produtos que compõem a Cesta foram adquiridos, em julho, pelo valor de R$ 289,06. No levantamento feito em junho, os mesmos produtos estavam custando R$ 293,93.

Porém, no acumulado do ano o índice ainda apresenta variação positiva de 6,97%, enquanto no semestre o aumento é de 2,96%, e nos últimos 12 meses, 12,12%.

Entre os 15 produtos pesquisados, sete tiveram preços reduzidos como: o tomate (-17,82%), batata (-10,98%), laranja (-7,42), margarina (-3,75%), óleo (-3,41%), feijão (-3,41%), e sal (-2,22%).

No entanto, os demais 8 produtos registraram aumento de preço: açúcar 6,78%, pão francês 2,75%, arroz 2,41%, leite 2,30%, macarrão 2,02%, banana 1,60%, alface 1,44% e carne 1,33%.

Segundo os técnicos, responsáveis pela pesquisa, o resultado negativo do custo da Cesta Básica Alimentar em julho se deve a forte redução nos preços do tomate, da batata e da laranja, por conta do volume de oferta desses produtos no período de safra.

O tomate, por exemplo, que em meses anteriores chegou a registrar R$ 9 o quilo, pode ser encontrado hoje no valor de R$ 2,49. Já a alta no preço do açúcar é resultado do fim da promoção que aconteceu no mês de junho.

Outro produto que registrou elevação nos preços foi o arroz, que sofre influência pelas altas cotações no mercado interno. Nos últimos seis meses os produtos que apresentaram maiores altas nos preços foram: batata, feijão, macarrão e pão. Em contrapartida, no mesmo período registraram redução nos preços: óleo, arroz, açúcar e margarina.

Comparando o custo da Cesta Básica com a renda mensal, os responsáveis pela pesquisa concluíram que o trabalhador que recebeu o salário mínimo de R$ 678 no mês de julho comprometeu 42,63% da renda bruta com alimentação. No levantamento feito em junho o custo da Cesta Básica comprometia 43,35% do salário mínimo.

Procon da Capital abre campanha para orientar comércio e consumidor no Natal
O Procon (Subsecretaria de Proteção e Defesa do Consumidor) de Campo Grande dá início nesta segunda-feira (18) a uma semana de orientação e atendimen...
Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions