A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Agosto de 2018

22/05/2018 21:13

Debate sobre redução do ICMS do combustível volta á tona

Em 2015 o imposto chegou a ser reduzido pelo Governo, mas como imposto não foi repassado ao consumidor pelos postos o beneficio foi suspenso.

Liniker Ribeiro e Leonardo Rocha
Veículo durante abastecimento em posto de combustíveis (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Veículo durante abastecimento em posto de combustíveis (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

O deputado estadual Paulo Corrêa (PSDB) afirmou, nesta terça-feira (22), que pretende se reunir com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para discutir a possibilidade de uma nova redução da alíquota do ICMS sobre o diesel, parecida com o que aconteceu no Estado, em 2015. Na época, o incentivo do governo reduziu a alíquota de 17% para 12%, mas os preços não caíram e o benefício foi suspenso.

Em meio aos protestos de caminhoneiros contra o preço dos combustíveis, o assunto voltou ao debate hoje. Corrêa foi presidente da comissão que avaliou a queda do imposto, após a redução das alíquotas, e apontou a falta de repasse do desconto para o consumidor como o principal motivo para o desconto ter durado apenas seis meses. Segundo lembrou ele, o Governo precisou voltar atrás e cobrar o valor total do imposto, porque a diferença do preço cobrado na bomba foi baixa.

A afirmação foi confirmada pelo secretário de Governo e Gestão Estratégica de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel. Ao Campo Grande News, o secretário reforçou dizendo que "apesar da diminuição na época [da alíquota], o preço não mudou, o valor na bomba não foi reajustado", explicou.

Na época, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) declarou que a intenção do governo era que a redução da alíquota provocasse aumento no consumo, o que compensaria a diferença com maior volume nas vendas. Durante os seis meses de redução, foram realizados estudos e análise das metas, que indicaram o não aumento esperado de consumo, de 40%. Com o índice baixo, a alíquota voltou a ser cobrada normalmente no dia 1º de janeiro de 2016.

De manhã, caminhoneiros foram ao Parque dos Poderes protestar e foram lembrados de que a redução já ocorreu, mas não surtiu o efeito esperado.

Reflexo da alta -  Para o Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes MS) a alta do ICMS tem sido um dos motivos para o preço mais do combustível, no Estado. Aliado as novas mudanças políticas adotadas pela Petrobras, essa alta tem afetado também o estoque dos postos de combustíveis.

Em alguns pontos de Campo Grande, por exemplo, postos estão tendo que trabalhar com "meio tanque", pois segundo o sindicato, os empresários estão tendo dificuldade na negociação com a rede na qual o posto pertence, o que acaba provocando à falta de combustível ou até o fechamentos dos postos.

Só em Campo Grande, cerca de 25 postos fecharam nos últimos 15 meses. No Estado, a estimativa do Sinpetro é de 48 unidades a menos, no mesmo período. "Tivemos uma perda de aproximadamente 30% no volume de vendas no Estado. Boa parte disso nas estradas e em cidades que fazem divisa com outros estados, pois a diferença de até R$ 0,30 faz com que as pessoas acabam optando por abastecer em São Paulo ou no Paraná, por exemplo", apontou o gerente executivo do Sinpetro, Edson Lazarotto, em entrevista no último domingo (20).

A reportagem entrou em contato com o Sinpetro, mas não obteve retorno até a publicação. 

Aumento de benefícios a produtor rural pode ser vetado, diz secretário
O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, disse hoje (17) que o governo federal estuda vetar a ampliação de benefícios a produtores rurais ...
Dólar fecha a semana cotado a R$ 3,91, acumulando alta de 1,31%
A moeda norte-americana encerrou hoje novamente (17) em alta de 0,24%, cotada a R$ 3,9147 na venda, fechando uma série de três pregões consecutivos d...
Hotel em Orlando ganha tema Jurassic World
Sempre se reinventando, Orlando não mede gastos para investir seja em novas atrações nos parques ou em estrutura e serviços para os turistas. Agora é...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions