A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Agosto de 2018

02/08/2017 18:52

Dólar recua com expectativa por placar em votação sobre Temer e exterior

Niviane Magalhães (Estadão Conteúdo)

No aguardo pela votação da denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer no plenário da Câmara, o dólar operou a maior parte do tempo em baixa, acentuando as perdas no início da tarde depois que a sessão atingiu os 342 parlamentares necessários para a votação.

Os investidores seguem focados na margem favorável que Temer poderá ter para analisar a viabilidade de aprovação da reforma da Previdência. Além disso, o petróleo em alta de mais de 1% e a fraqueza da moeda americana no exterior contribuíram para o movimento vendedor.

Na última hora de negociação, o dólar reduziu as perdas em meio ao atraso no início da votação, que chegou a ser cogitada para começar às 14h e depois foi postergada, com previsão para o início da noite. Pela manhã, foi observada certa cautela.

Ainda assim, a perspectiva do mercado de continuidade do governo Temer prevaleceu. De acordo com o operador da corretora H Commcor Cleber Alessie Machado Neto, os mercados se animaram após a Câmara atingir o quórum de 342 parlamentares necessários para dar início à votação e com a rápida elevação deste número.

O gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginald Galhardo, apontou que o mercado tem operado no sentido de que, se Temer ganhar corpo agora, ele conseguirá aprovar a reforma da Previdência, "gerando credibilidade ao País, que é o que a gente precisa agora para atrair de volta os investimentos".

Outros fatores também contribuíram para a queda do dólar. A moeda americana no exterior passou a operar com fraqueza depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou uma medida que impõe sanções contra o Irã, Coreia do Norte e Rússia.

Além disso, o dólar perdeu força também depois que a presidente da unidade de Cleveland do Federal Reserve (Fed), Loreta Mester, defendeu que o Fed mantenha o ritmo de aperto monetário gradual. Já o presidente da unidade de St. Louis do Fed, James Bullard, disse que o banco central americano deveria ficar "em pausa" no que se refere a novas altas de juros, dadas as leituras baixas de inflação. A alta de mais de 1% do petróleo também ajudou na valorização do real.

No mercado à vista, o dólar terminou em baixa de 0,18%, aos R$ 3,1202. O giro financeiro somou US$ 715 milhões. Na mínima, a moeda ficou em R$ 3,1141 (-0,37%) e, na máxima, aos R$ 3,1381 (+0,39%).

No mercado futuro, o dólar para setembro caiu 0,43%, aos R$ 3,1315. O volume financeiro movimentado somou US$ 13,07 bilhões. Durante o pregão, a divisa oscilou de R$ 3,1320 (-0,41%) a R$ 3,1560 (+0,34%).

Aumento de benefícios a produtor rural pode ser vetado, diz secretário
O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, disse hoje (17) que o governo federal estuda vetar a ampliação de benefícios a produtores rurais ...
Dólar fecha a semana cotado a R$ 3,91, acumulando alta de 1,31%
A moeda norte-americana encerrou hoje novamente (17) em alta de 0,24%, cotada a R$ 3,9147 na venda, fechando uma série de três pregões consecutivos d...
Hotel em Orlando ganha tema Jurassic World
Sempre se reinventando, Orlando não mede gastos para investir seja em novas atrações nos parques ou em estrutura e serviços para os turistas. Agora é...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions