ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  25    CAMPO GRANDE 29º

Economia

Economia diversificada compensará perdas em safra, garante Riedel

Governador apontou avanço da celulose e carnes como fatores positivos para manter crescimento

Por Maristela Brunetto e Gabriela Couto | 14/03/2024 09:37
Governador falou a empresários sobre o desempenho da economia do Estado, mesmo com perdas previstas para safra de grãos (Fotos: Marcos Maluf)
Governador falou a empresários sobre o desempenho da economia do Estado, mesmo com perdas previstas para safra de grãos (Fotos: Marcos Maluf)

A diversificação das atividades econômicas no Estado será fator determinante para manter o ritmo de crescimento e o PIB (Produto Interno Bruto) de Mato Grosso do Sul mesmo diante da expectativa de queda de até 40% na próxima safra de soja, com a redução de preços e os fatores climáticos. A análise foi feita pelo governador Eduardo Riedel, do PSDB, esta manhã, no evento MS em Foco, iniciativa empresarial voltada ao setor rural, realizada no Bioparque Pantanal.

Ele mencionou o avanço da indústria de transformação, na qual se insere a celulose, que se tornou o principal produto de exportação do Estado, e da produção de carne suína e de aves. Ele admitiu que pode surgir reflexo no ano que vem com os números de 2024, mas foi otimista com a manutenção do ritmo de crescimento. “Tudo isso gera um equilíbrio no resultado final do PIB num estado que cresce mais de 6% ao ano”.

Riedel mencionou que acompanhou os debates dos produtores com o Governo Federal, indo até Brasília para reunião com o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Favaro, tendo a União anunciado a prorrogação de parcelas de investimentos para o setor e definido uma linha de crédito baseada no dólar para permitir competitividade ao produtor. Ele classificou como “difícil e perversa” a situação dos produtores de soja.

O setor no ano passado assegurou dados positivos, com 14 milhões de toneladas de soja produzida e 40 milhões de toneladas de grãos e preços elevados, resultado que levou Mato Grosso do Sul à primeira posição em desempenho.

Durante a palestra desta manhã, Riedel exibiu muitos slides com números do Estado, como o maior investimento privado do País, em R$ 1.770 per capita, a quinta melhor renda média, em R$ 3.234, avanço de 68% na indústria de transformação e a terça menor taxa de pobreza extrema  e a terça maior em capital humano.

Governador mencionou ativos ambientais que MS tem e que precisam ser "monetizados"
Governador mencionou ativos ambientais que MS tem e que precisam ser "monetizados"

Ativos a monetizar – O governador mencionou que o Estado ainda tem riquezas com valor que precisa ser monetizado, apontando os créditos do carbono retido na natureza, a biodiversidade e a água. Antes da palestra, em entrevista, ele apontou que este assunto foi abordado pelo secretário Jaime Verruck, da Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação), em evento recente em Bruxelas, na Bélgica. Ele visitou o país para discutir com representantes da União Europeia sobre produção e questões ambientais, uma vez que os países europeus impuseram critérios para a importação de alimentos, como a produção em área alvo de desmatamento.

Ao falar aos empresários, Riedel mencionou que “serão ativos tão valiosos quanto as commodities. Essa é uma realidade que está posta, pelo valor agregado", argumentou. Na Lei do Pantanal, foi incluída a criação de um fundo, a ser destinado a compensar produtores que adotam práticas de preservação dos recursos naturais e aplicação em ações de preservação. O governo pretende obter doações para o fundo, a exemplo do Fundo Amazônia.

O governador ainda expôs na palestra as potencialidades do Estado e os investimentos em logística para atrair investimentos. Ele também comentou sobre o programa Conectando Talentos, que será conduzido pela Funtrab, para identificar demandas por mão de obra especializada e fazer o encaminhamento. “Ouvir o mercado, ouvir a aptidão das pessoas e fazer essa conexão tem sido trabalho permanente do governo do Estado.”

Nos siga no Google Notícias