A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 22 de Outubro de 2017

08/05/2014 12:44

Lei protege clientes de "armadilhas" de oficinas indicadas por seguradoras

Caroline Maldonado
Cláudia pegou o carro na oficina e depois de uma semana descobriu que mangueiras do ar condicionado estavam sem braçadeiras (Foto: Cleber Gellio)Cláudia pegou o carro na oficina e depois de uma semana descobriu que mangueiras do ar condicionado estavam sem braçadeiras (Foto: Cleber Gellio)

Deixar o carro na oficina por um longo tempo e precisar de carona de familiares já é um transtorno, que muda toda a rotina. Pior que isso foi o que aconteceu com a comerciante, Cláudia Lany, 39 anos. Ela deixou o carro, no fim de 2013, durante um mês inteiro, para reparo do sistema de ar condicionado, e uma semana depois de pegar o veículo descobriu que o reparo foi feito de forma errada. A comerciante foi obrigada a escolher uma das cinco oficinas determinadas pela seguradora, situação que, desde o mês passado, uma lei proíbe em Mato Grosso do Sul. 

A oficina alegou que as peças viriam de outro estado, por isso a demora. Uma semana depois de retirar o carro da oficina, quando levou o Gol para revisão na concessionária, Cláudia foi alertada pelos funcionários de que as mangueiras do ar condicionado estavam sem braçadeiras.

A comerciante então procurou a seguradora para reclamar o serviço e, dessa vez, o problema foi resolvido em dois dias. “Foi muito complicado ficar sem carro por um mês. São quatro pessoas na minha casa, um filho na faculdade e eu tive que usar o carro do meu marido nesse tempo. Daí depois eu ainda descobri que tinha sido enganada. Eu fui a seguradora e disse que iria a pequenas causas, daí resolveram o problema rapidamente”, contou. Cláudia usou o carro reserva por uma semana, o tempo máximo permitido pela seguradora.

Nova lei – Desde o dia 23 do mês passado, o segurado não é mais obrigado a escolher entre as oficinas estabelecidas pela seguradora. É o que determina a lei estadual nº 4.524/2014.

Agora, o segurado e o “terceiro” (o outro envolvido no acidente) têm direito de escolher qualquer oficina. Mesmo que ambos não entrem em consenso, a seguradora deverá respeitar a escolha de cada um para o reparo de seus veículos, separadamente.

A lei, de autoria do deputado estadual Márcio Fernandes (PTdoB), foi promulgada pelo presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos, e publicada no Diário Oficial de MS, no dia 24 de abril.

De acordo com o superintendente do Procon (Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor), Alexandre Rezende, “se a seguradora se opor a escolha do segurado, o mesmo pode procurar o Procon imediatamente”.

Anatel debate TAC da Oi em reunião extraordinária na segunda-feira
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vai se reunir na segunda-feira (23) para deliberar a respeito dos termos de Ajustamento de Conduta (T...
Mega-Sena deste sábado pode pagar prêmio de R$ 11,5 milhões
A Mega-Sena pode pagar hoje (21) R$ 11,5 milhões, prêmio do sorteio número 1.980, que será realizado às 20h (horário de Brasília). As apostas podem s...



4° já presenciei vários casos de veículos ficarem mais de 30 dias em concessionárias, inclusive de marcas "populares".
5° Hoje em dia, quase todos os veículo tem peças faltando no estoque das concessionárias e distribuidoras, atrasando o tempo de concerto tanto na concessionária quando nas oficinas referenciadas das seguradoras que compram peças originais na própria concessionária.
Cada caso é um caso, temos clientes insatisfeito com concessionárias, temos clientes insatisfeito com oficinas referenciadas.
E com certeza o cliente deve escolher a oficina, e nos últimos 3 anos a maioria das seguradoras não forçam nem proíbem o cliente de escolher qualquer oficina que tenha CNPJ e emita NF, o que acontece muito é eles sugerirem pois há benefícios.
 
Bruno Vieira em 09/05/2014 09:09:51
Que matéria mais tendenciosa!
1° Normalmente não há reclamação quando a qualidade do serviço das oficinas referenciadas. Claro que tem casos que há problema como em qualquer serviço.
2° "o tempo máximo permitido pela seguradora." Uma GRANDE mentira, este é o tempo máximo contratado pela cliente que quase sempre quer seguro barato e não qualidade, perfil campograndense. Todas as seguradoras oferecem para contrato até 30 dias, e algumas por tempo indeterminado. Vai do cliente querer pagar ou não.
3° As concessionárias cobram um absurdo por coisas simples, e principalmente quando a cliente é mulher aparecem muitas coisas para arrumar, trocar etc, e algumas vezes nem precisa fazer nada e dizem que foi feito.
...
 
Bruno Vieira em 09/05/2014 09:03:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions