A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 20 de Junho de 2018

05/12/2014 19:21

Ministério Público abre inquérito para apurar destino de R$ 21 milhões

Priscilla Peres

O MPE/MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) instaurou inquérito civil para apurar o destino e aplicação de R$ 21 milhões que a Eldorado Celulose terá de pagar ao Imasul (Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) como compensação ambiental devido a implantação da segunda linha do complexo fabril de celulose.

O Promotor de Justiça, Antônio Carlos Garcia de Oliveira, é o responsável pelo inquérito civil n° 057/2014 publicado hoje, no diário oficial do MPE/MS. Nessa ação, a promotoria de Justiça do Meio Ambiente e Urbanismo de Três Lagoas, converteu o Procedimento Preparatório nº 057/2014 em Inquérito Civil.

O valor de R$ 21,780 milhões foi definido em junho deste ano e será depositado na conta do Imasul. A Câmara do órgão irá definir sobre o destino do montante, que pode ser usado em qualquer município do Estado, porém os afetados pela empresa, que são Três Lagoas e Selvíria.

Em nota, a Eldorado Brasil Celulose afirma que "reforça seu posicionamento de transparência e permanece à disposição do Ministério Público Estadual para os esclarecimentos que se fizerem necessários". Já que o inquérito é apenas para apurar o destino do recurso.

Fábrica - Para ampliar e colocar em operação a segunda linha de fabricação, a Eldorado terá de investir R$ 8 bilhões. Além do valor da compensação ambiental, a gigante da celulose é obrigada a destinar R$ 5 milhões para Três Lagoas devido à duplicação, que poderá ser utilizados em investimentos no município.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions