A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

03/05/2012 20:57

Mudanças diminuem a rentabilidade das cadernetas de poupança

Nyelder Rodrigues

A decisão do governo nacional em atrelar a remuneração da poupança à taxa básica de juros (taxa Selic) vai mudar os rendimentos de quem aplicar, a partir de sexta-feira (4), dinheiro na caderneta.

Conforme a presidente Dilma Roussef, a intenção é fazer com que o Brasil pratique taxas compatíveis às taxas praticadas nos principais mercados internacionais.

Para isso, foram adotadas novas regras, que vão ser usadas nos novos depósitos, o que isenta as mais de 100 milhões de cadernetas de poupanças já existentes.

Por enquanto, o rendimento continua fixo, em 6,17% ao ano (ou 0,5% ao mês) mais a Taxa Referêncial (TR), que é variável.

Porém, caso a taxa Selic, estipulada pelo Banco Central, passe a ser menor que 8,5%, o juros da poupança passa a ser atrelada a Selic, fazendo com que o rendimento seja variável. O valor será de 70% da Selic mais a TR.

Hoje, a Selic está fixada em 9% ao ano, porém, a expectativa de vários especialistas é que durante o decorrer dos meses, seguindo uma tendência da política econômica do governo Dilma, haja uma redução da taxa de juros que atinja marca inferior aos 8,5%.

Impactos - de acordo com o economista Aureo Torres, as mudanças foram feitas justamente em um momento em que a poupança se tornava uma aplicação mais rentável, o que para ele, prejudicou os pequenos e médios poupadores.

“Estava tendo uma grande migração para a poupança, e fizeram essas mudanças justamente para frear. O impacto principal, que é o menor rendimento do dinheiro poupado, será nacional, sem diferenças de região para região”, explica o Aureo.

Ainda conforme o economista, o governo se beneficia com a medida, já que outros fundos não ficam em desvantagem em comparação à poupança e fica mais fácil refinanciar as dívidas. “As pessoas não sabem, mas quem investe em títulos está emprestando dinheiro para o governo”, conta.

Quanto a uma possibilidade de fuga e retira de dinheiro das cadernetas, Torres a descarta. “O perfil de quem aplica em poupança é o do querer rentabilidade garantida e estabilidade. Essas características se mantêm”.

Governo vai atrelar rendimento da poupança à taxa básica de juros
O governo vai atrelar a remuneração da poupança à taxa básica de juros, a Selic. A mudança será editada por medida provisória, que deve entrar em vig...
Redução da Selic pode tornar poupança mais vantajosa que renda fixa, diz Anefac
Brasília – A redução da taxa básica de juros (Selic) em 0,75 ponto percentual pode tornar a caderneta de poupança um rendimento mais interessante do ...
Saldo em poupança atinge R$ 1,25 bilhão em Mato Grosso do Sul
A Poupança da Caixa Econômica Federal atingiu, no mês passado, a marca de R$ 1,25 bilhão de saldo de depósitos em Mato Grosso do Sul.O número represe...
Empresas têm até 20 de dezembro para optar pela antecipação do eSocial
Empresas podem optar pela antecipação da implantação do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSoci...


Poupança já rendia uma micharia. Agora não vai render nada. Coloca R$ 1000,00 na poupança não dá quase nada de rendimento, mas fica devendo R$ 1000,00 pro banco pra ver o quanto rende para eles.
Como sempre, os bancos sempre tirando vantagens do povo. Agora com aval maior do governo.
 
Cleberson Silva em 03/05/2012 11:02:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions