A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

29/11/2013 21:07

Pesquisa aponta variação de até 154% no preço de produtos natalinos

Vinícius Squinelo
Panetone é um dos produtos com maior variação nos preços (foto: Cleber Gellio)Panetone é um dos produtos com maior variação nos preços (foto: Cleber Gellio)

O Procon/MS (Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor) constatou variação de até 154,1% nos preços dos produtos tradicionais do Natal. Foram 205 itens pesquisados, em trabalho divulgado nesta sexta-feira (29) pela Superintendência regional, que também verificou aumento médio de 8% no valor dos produtos.

Os itens foram pesquisados no dia 25 de novembro, e a maior variação foi encontrada no quilo da castanha do Pará com casca, que é comercializada com preço máximo de R$ 24,90 e preço mínimo de R$ 9,80. Uma diferença no valor absoluto de R$ 15,10, que representa variação de 154,1%.

Na lista das dez maiores variações ainda estão o Guaraná Kuat de 2 litros (104,9%), a uva passa escura sem semente (87,6%), a Cidra Cereser Maça (79,4%), Cidra Cereser sem álcool (67,7%), o Sprite de 2 litros (61,9%), o vinho Sangue de Boi de 4 litros (61,6%), o filtrado Salton Demi Sec de 750 ml (55%), a uva passa clara sem semente (48%) e o panetone Santa Edwiges frutas de 500 gramas (44,7%).

O levantamento do Procon mostra ainda que os produtos analisados nesta pesquisa apresentaram alta de 8%, quando comparados aos preços praticados no mesmo período de 2012. O órgão de defesa do consumidor fará outro levantamento de preços e uma segunda pesquisa será divulgada no dia 19 de dezembro, data mais próxima à festa natalina.

De acordo com o superintendente do Procon, Alexandre Resende, à medida que a data se aproxima os preços nos estabelecimentos que comercializam produtos natalinos tendem a apresentar queda. “É a lei da oferta e da procura e os supermercados acabam fazendo promoções mais próximas ao Natal para vender todo o estoque”, comenta Alexandre. “Quem acaba regulando isso é o próprio consumidor ao esperar para comprar determinado produto, que acaba ficando nas prateleiras e obriga o segmento a fazer promoção para vender tudo”, concluiu.

Durante a pesquisa foi constatado que os estabelecimentos ainda estão se adequando para as vendas do fim de ano. “Os nossos técnicos perceberam que as opções são poucas, mas que as lojas estão se preparando. Os produtos ainda estão chegando às prateleiras dos supermercados. Quem esperar para comprar, pode encontrar uma maior variedade de marcas”, explicou o superintendente do Proncon.

O consumidor deve ficar atento na hora de comprar os produtos para o Natal, alerta Alexandre. “A pesquisa do Procon é apenas uma base para o consumidor, é preciso ampliar a pesquisa de acordo com o produto que a pessoa pretende levar para casa. É importante que o consumidor fique atento à data de validade dos produtos, principalmente os perecíveis”, recomenda.

Outra dica importante segundo o Procon é quanto ao cuidado com os gastos no fim de ano. “Nesta época é preciso tomar cuidado para não estourar o orçamento, pois no início do ano temos gastos extras como o IPTU e material escolar, entre outros. Desta forma o consumidor evita o superendividamento”, ponderou o superintendente do Procon, Alexandre Resende.



A lista?
 
maria da silva em 30/11/2013 12:45:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions