A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 20 de Agosto de 2019

08/07/2019 22:42

Pesquisa descobre potencial anestésico de óleos de alecrim e cidreira em peixes

Adriano Fernandes
Pesquisadores durante o manejo dos peixes em tanque. (Foto: Divulgação) Pesquisadores durante o manejo dos peixes em tanque. (Foto: Divulgação)

A pesquisa de mestrado da acadêmica Arlene Ventura Sobrinho da Pós-graduação em Recursos Naturais, da Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) de Dourados, descobriu o potencial anestésico dos óleos de cidreira e alecrim pimenta em peixes. A pesquisa também surge como uma solução menos invasiva e mais barata do que os produtos sintéticos mais utilizados na piscicultura, ultimamente.

A anestesia pode ser utilizada em procedimentos de rotina em fazendas de produção de peixes, como biometria, identificação de reprodutores, vacinação, transporte; situações causadoras de estresse e até mesmo mortalidade.

Os produtos derivados das plantas tiveram efeito positivo nos testes em peixes da espécie pacu a segunda espécie mais produzida no estado de Mato Grosso do Sul. Foram 957.990 toneladas no ano de 2017.

Além de seu efeito anestésico também foi observado que os óleos essenciais das plantas são rapidamente metabolizados e eliminados pelos peixes, sem deixar nenhum resíduo no sangue após 48 horas de sua aplicação. Ou seja, os resultados se mostraram interessantes, tanto do ponto de vista econômico quanto para a saúde de quem consome a carna do animal.

A pesquisa “Avaliação do potencial dos óleos de cidreira e alecrim pimenta como anestésicos para o pacu” foi desenvolvida em parceria com a Embrapa Agropecuária Oeste e a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). O estudo também faz parte do projeto Fundect.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions