A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

14/09/2012 09:40

Pesquisa mostra que em MS, maioria viajou para visitar parentes

Nadyenka Castro e Helton Verão

Levantamento é do IBGE, referente a 2008 e 2009. Motivação religiosa está em último na lista

Rodovia de Mato Grosso do Sul, Estado onde, segundo a pesquisa, famílias viajaram para visitar parentes e a negócios. (Foto: João Garrigó/ Arquivo)Rodovia de Mato Grosso do Sul, Estado onde, segundo a pesquisa, famílias viajaram para visitar parentes e a negócios. (Foto: João Garrigó/ Arquivo)

A secretaria Antoniely Cardoso, 25 anos, quase não viaja, mas quando ‘pega a estrada’ é para visitar parentes. O caso dela é exemplo do que constatou pesquisa feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) entre maio de 2008 e 2009: a maioria das famílias em Mato Grosso do Sul viajou para visitar parentes.

“Viajo muito pouco. Tenho parentes em Jardim e vou para lá”, disse a jovem que mora em Campo Grande. De acordo com a pesquisa, ela integra os 29,9% das famílias que viajam para visitar parentes e amigos.

Em segundo lugar na lista da motivação de viagens ficou o lazer: 26,5%. Em seguida negócios -18%- e tratamento médico -11%. Por último ficou o motivo religioso: 2,9%

O comerciário Marcelo Godoy, 37 anos, é um dos que viajam por motivos profissionais. “Viajo pouco e a trabalho. Nunca saí do Centro-Oeste”, disse.

País - Segundo a pesquisa, a estimativa de despesa média mensal familiar com viagens esporádicas no Brasil foi de R$ 50,16. Quando avaliado somente os gastos de família com renda superior a R$ 3.015 a média é de R$ 147,63. Montante quase 18 vezes menor que a despesa de quem ganha até R$ 910, que é R$ 8,46.

O levantamento constatou que despesas com transporte corresponderam a 48,7% do total da média nacional, sendo o item mais participativo em todos os quartos de renda.

Além dos itens transporte e alimentação, houve significativa participação das despesas com pacotes turísticos (12,8%), bem como alojamento e aluguel de imóveis por temporada (11,6%). Os gastos com esses itens foram maiores nas famílias pertencentes ao grupo que tinha renda igual ou superior a R$ 3.015.

O motivo lazer, recreio e férias foi o mais frequente nas despesas com viagens

esporádicas nas regiões Sul (44%) e Sudeste (43,9%), e menores nas regiões Norte (27%) e Nordeste (28,9%). Por fim, observou-se que o motivo negócios e motivos profissionais

apresentou percentuais significativos nas regiões Norte (26,7%) e Nordeste (22%).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions