A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

14/09/2012 09:36

Em MS famílias gastaram R$ 140,73 em saúde; maior parte remédio

Nadyenka Castro e Helton Verão

Levantamento foi feito pelo IBGE entre 2008 e 2009 e mostra ainda que 48,1% do orçamento foi para esta área

Renata mostra produto que comprou para o filho, para amenizar os efeitos do tempo seco. (Foto: Helton Verão)Renata mostra produto que comprou para o filho, para amenizar os efeitos do tempo seco. (Foto: Helton Verão)

Famílias de Mato Grosso do Sul gastaram entre maio de 2008 e maio de 2009, 48,1% do orçamento com compras de remédio. É o que aponta o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), na Pesquisa de Orçamentos Familiares-2008-2009.

De acordo com o levantamento do IBGE, a média mensal de despesas com saúde no período avaliado foi de R$ 140,73, sendo R$ 67,76 só com medicamentos.

A funcionária pública Cleonice Bezerra, 42 anos, gasta R$ 200 em média, só com remédios. “É para hipertensão, colesterol e também vitaminas”, diz.

A professora Renata Vassam, 32 anos, conta que gasta R$ 250 em média por mês com produtos de saúde. A maioria, com medicamentos para o filho de 11 meses e também vitaminas e protetores solares para ela. O gasto representa 10% do orçamento.

Também gasta 10% do orçamento com saúde a auxiliar administrativa Raquel Ruiz, 24 anos. Segundo ela, os gastos eram maiores quando o filho era menor, hoje ele tem quatro anos. “Quando meu filho era recém-nascido gastava mais”, diz.

Gastos com medicamentos foram os maiores no item saúde. (Foto: Minamar Júnior)Gastos com medicamentos foram os maiores no item saúde. (Foto: Minamar Júnior)

A pesquisa aponta que depois dos gastos com remédios está os com planos de saúde: R$ 42,39. O menor gasto, de acordo com o levantamento, foi com tratamento médico ambulatorial: R$ 0,93. A situação do Estado segue média dos números nacionais.

País - Segundo o IBGE, os gastos das famílias brasileiras com saúde tiveram peso de 7,2% (R$ 153,81) entre 2008 e 2009. Valor menor que em 2002-2003, quando foi feita a primeira pesquisa sobre o consumo dos brasileiros.

O item remédios (48,6%), seguido por plano ou seguro de saúde (29,8%) e consulta e tratamento dentário (4,7%) foram aqueles com as maiores participações nas despesas.Já o item hospitalização, apresentou a menor participação (0,7%).

Para o IBGE, o gasto com internação está entre os menores provavelmente em função do crescimento que vem ocorrendo nos últimos anos no número de famílias que possuem planos ou seguro saúde, bem como da utilização e procura por atendimento no serviço público.

De acordo com o IBGE, a pesquisa foi realizada com 4.696 famílias em todo o País, sendo 166 em Mato Grosso do Sul.

Centro-Oeste - Conforme o levantamento, a medida que a pessoa fica mais velha, maior é o gasto com medicamentos. Dos 10 aos 19 anos a média é de R$ 2,6. Dos 20 aos 29 anos cai para R$ 1,9. A diferença aumenta muito a partir dos 50 anos e depois dos 70 chega a R$ 5,5.

Gráfico mostra as despesas dos sul-mato-grossenses com saúde. (Imagem: Helmar Júnior)Gráfico mostra as despesas dos sul-mato-grossenses com saúde. (Imagem: Helmar Júnior)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions