ACOMPANHE-NOS    
MAIO, DOMINGO  22    CAMPO GRANDE 14º

Economia

Preço da cesta básica em Campo Grande varia 25% nos últimos 12 meses

Estudo foi apresentado pelo instituto nesta sexta-feira, apontando o segundo maior índice do País

Por Nyelder Rodrigues | 05/11/2021 11:33
Tomate foi o item que mais ficou caro na cesta básica de outubro. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
Tomate foi o item que mais ficou caro na cesta básica de outubro. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

Campo Grande apresentou nos últimos 12 meses um índice de 25,62% no preço da cesta básica, número que representa o segundo maior aumento entre as capitais pesquisadas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), que divulgou nesta manhã de sexta-feira (5) os dados do estudo.

A capital sul-mato-grossense é uma das 17 capitais pesquisadas pelo instituto, que aponta ainda a quarta alta consecutiva no preço da cesta básica em Campo Grande - em outubro, o valor dos produtos essenciais subiu 3,58%.

Atualmente, o valor médio da cesta chega a R$ 653,40 na cidade, o sexto maior do País. O preço da cesta campo-grandense consome 64% do salário mínimo vigente. Dentro da variação do ano de 2021, Campo Grande aparece em terceiro, com 13,34%, perdendo apenas para Florianópolis (13,83%) e Curitiba (18,42%).

Os produtos em alta que mais chamaram a atenção na Cidade Morena são o café em pó (9,81%), tomate (32,69%), óleo de soja (2,16%), manteiga (2,98%) e feijão (0,83%). O tomate chegou a apresentar preço médio de R$ 6,86 o quilograma.

Os outros itens com variação positiva foram batata (21,39%), açúcar cristal (5,88%), pão francês (3,72%), farinha de trigo (3,04%), leite de caixinha (2,98%) e carne bovina (0,22%). Já a banana e o arroz agulhinha apresentaram redução de preço, aferido pelo Dieese na faixa dos 7,16% e 3,37%, respectivamente.

Nos siga no Google Notícias