ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUINTA  30    CAMPO GRANDE 24º

Economia

Preço do leite pago ao produtor de MS tem alta de 4,2% devido a entressafra

Renata Volpe Haddad | 17/06/2015 13:44
Preço do litro subiu em maio e projeção para junho também é de alta. (Foto: Marcelo Calazans)
Preço do litro subiu em maio e projeção para junho também é de alta. (Foto: Marcelo Calazans)

O preço do litro do leite pago aos produtores de Mato Grosso do Sul registrou alta de 4,2% em maio, na comparação com abril e chegou ao valor de R$ 0,8109, de acordo com o Conseleite/MS (Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite). Isso deve-se ao período de restrição na oferta de matéria prima.

Se comparado a maio de 2014, o preço teve uma retração de 1,9%. Analisando os valores médios líquidos pagos aos produtores, registrados pelo CEPEA/ESALQ (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), Mato Grosso do Sul apresentou R$ 0,7986/litro e a média nacional R$ 0,9334/litro.

Para junho, a projeção é do preço do litro chegar a R$ 0,8339, com tendência de crescimento. As projeções deste mês mantém tendência de alta, ou de estabilidade como é o caso do leite consumidor.

Preços - O leite cru (spot) valorizou 6,1%. Os queijos foram cotados aos preços de R$ 15,65/kg para muçarela, o prato R$ 15,15/kg, o provolone R$ 15,60/kg e o queijo minas R$ 14,48/kg. A alta nos preços do atacado é reflexo do período de restrição na oferta da matéria prima.

Varejo - No varejo, a valorização ocorreu no requeijão cremoso de 200gr, 9,3%, cotado a R$ 5,52. Para o leite longa vida integral 2,2%, preço médio de R$ 2,80/litro e no longa vida desnatado, ligeira valorização de 0,8% cotado a R$ 2,65/litro. Em relação a abril, em maio a retração ocorreu no leite pasteurizado, comercializado em média por R$ 1,49/litro e o requeijão sofreu perda de 3,2% no seu preço. A maior valorização foi no item leite consumidor, de 8,3%, provavelmente impulsionado pelo preço do leite UHT.

Captação - As indústrias de laticínios instaladas no Mato Grosso do Sul, cadastradas no SIF (Sistema de Inspeção Federal) captaram, no período de janeiro a abril, volume superior a 102 milhões de litros de leite. Esse número foi inferior aos volumes dos mesmos períodos de 2013 e de 2014. Em relação ao ano de 2013 representou queda de 9,34% e em relação ao mesmo período de 2014, que registrou volume de 118 milhões de litros, a retração foi ainda maior, 12,92%.

Nos siga no Google Notícias