ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 28º

Economia

Produção agrícola cresce em MS e chega ao valor recorde de R$ 19,2 bilhões

Maracaju e Sidrolândia aparecem entre os maiores produtores de soja do País

Por Gabriel Neris | 01/10/2020 12:32
Maquinário prepara área para plantar soja (Foto: João Carlos Castro/Sistema Famasul)
Maquinário prepara área para plantar soja (Foto: João Carlos Castro/Sistema Famasul)

A produção agrícola de Mato Grosso do Sul atingiu novos recordes em 2019. O valor da produção atingiu R$ 19,2 bilhões, crescimento de 0,79% em comparação com o ano anterior, de acordo com a Pesquisa Agrícola Municipal, divulgada nesta quinta-feira (1o) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Entre os itens que mais contribuíram para o crescimento está o milho, com aumento de 34% em relação a safra anterior, totalizando produção de 9,9 milhões de toneladas.

A produção de milho foi a melhor da história de Mato Grosso do Sul durante todo 2019. Houve aumento de 34% em comparação com 2018. O valor da produção chegou a R$ 5 bilhões.

A soja teve expansão de 6,2% na área colhida, mas houve retração de 11,8% no volume gerado em comparação com 2019, total de 8,6 milhões de toneladas (confira o quadro abaixo).

Maracaju foi o município com maior valor da produção agrícola, responsável com R$ 1,66 milhão, seguido por Sidrolândia, com R$ 1,39 milhão, Ponta Porã, com R$ 1,38 milhão, Rio Brilhante, com R$ 1,14 milhão, e Dourados, com R$ 1,11 milhão. A área plantada do Estado foi de 5.784.337 hectares, crescimento de 5,7% em relação ao ano anterior.

Mato Grosso do Sul ocupou em 2019 a quinta posição no ranking entre Estados, com 7,6% da produção de soja. Maracaju e Sidrolândia apareceram entre os 20 maiores produtores de soja do País, ocupando a 12a e 16ª posições, respectivamente.

Já a produção de cana-de-açúcar atingiu 52,2 toneladas, crescimento de 4,9%, quarta maior produção do país. O total de área plantada passou para 727.753 hectares com valor de produção de R$ 4,3 bilhões.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário