A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 23 de Setembro de 2017

07/08/2017 11:42

Projeto quer fomentar o uso de energia solar em indústrias de MS

Gabriel Maymone
Instalação de sistema gerador de energia solar é alternativa para reduzir conta de energia (Foto: Divulgação)Instalação de sistema gerador de energia solar é alternativa para reduzir conta de energia (Foto: Divulgação)

Em tempos de crise, pensar em formas de reduzir gastos se tornou mais importante ainda. Com o alto custo da energia elétrica no pais, a instalação de sistemas de geração de energia solar se torna alternativa de investimento.

Para orientar empresários e pessoas interessadas em instalar o sistema em suas casas, o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) lançará, às 19h de hoje, no Edifício Casa da Indústria, o projeto “Sistemas Fotovoltaicos”.

A equipe do Senai irá analisar a conta de energia do interessado e fazer um cálculo de viabilidade, ou seja, se compensa o custo da instalação, que pode chegar a R$ 750 mil para uma empresa que consome até 100kw, segundo o Portal Solar.

Nivaldo instalou sistema de geração de energia solar em seu comércio (Foto: Divulgação / Senai)Nivaldo instalou sistema de geração de energia solar em seu comércio (Foto: Divulgação / Senai)

Um caso que deu certo e será apresentado no evento é o do empresário Nivaldo Shirado, que viu sua conta de energia cair de R$ 9 mil para R$ 130 depois de instalar o sistema em seu comércio. “Eu consumia, em média, 7.000 kilowatts por mês. Era um gasto exorbitante que me incomodava profundamente”, disse o comerciante, informando conseguiu aprovar um financiamento de R$ 194 mil junto ao Banco do Brasil, via FCO, a ser pago em cinco anos. Com a redução da conta, o empresário consegue uma economia de R$ 106 mil em um ano.

Segundo o presidente da Fiems, Sérgio Longen, os industriais do Estado agora têm uma oportunidade plena e real de gerar a própria energia com um retorno de investimento muito curto. “O Banco do Brasil pode financiar parte desse projeto via FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). Ou seja, ao invés de pagar a conta de energia, o nosso associado vai pagar a parcela para o banco e, em 7 anos em média, o empréstimo estará quitado e o empresário passará a receber mais esse recurso. Então é um bom negócio montar a própria usina fotovoltaica”, garantiu.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions