ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  01    CAMPO GRANDE 21º

Economia

Salários dos 77 mil servidores estaduais injetam R$ 482 milhões na economia

Governo do Estado dividiu o pagamento de acordo com teto salarial e última parte dos servidores recebe nesta quinta-feira (2)

Por Izabela Sanchez | 02/04/2020 07:04
Fechado, comércio espera abrir nos próximos dias e os recursos injetados pelo salário dos servidores podem ajudar a movimentar setor. (Foto:
Fechado, comércio espera abrir nos próximos dias e os recursos injetados pelo salário dos servidores podem ajudar a movimentar setor. (Foto:

As três etapas do pagamento dos mais de 77 mil servidores do Estado de Mato Grosso do Sul, que terminam nesta quinta-feira (2), representam acréscimo de R$ 482 milhões na economia do Estado, segundo o governo de Mato Grosso do Sul.

O número, ao encontrar a abertura gradual do comércio em Campo Grande onde moram a maior parte dos servidores, representa força na engrenagem econômica em tempos de crise causada pela quarentena de combate ao coronavírus.

Os valores são referentes à folha de pagamento do mês de março para 77,9 mil servidores, entre ativos e inativos em todo o Estado. Para evitar aglomerações nas agências bancárias e risco de contágio do novo vírus, o governo teve a ideia de dividir o pagamento em 3 datas.

A última é nesta quinta para os salários vinculados a matrículas com ganhos acima de R$ 4 mil. O pagamento começou no dia 31 de março quando foram liberados os salários de servidores com ganhos de até R$ 2 mil e ontem (1), o governo liberou os vencimentos para quem recebe até R$ 4 mil.

Mais números – Os poucos dias de quarentena decretada pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD) para conter a rápida disseminação do coronavírus já implicaram em redução da capacidade dos cofres municipais. Conforme divulgou o prefeito, a arrecadação do IPTU( Imposto Predial Territorial Urbano) e do ISS (Imposto Sobre Serviços) sofreu queda de 80%.

Ainda assim, a Prefeitura decidiu não escalonar os salários dos servidores referentes à folha de março e afirmou que o parcelamento deve ocorrer a partir de maio. Nesta quinta-feira (2), a Prefeitura anunciou que os vencimentos estarão disponíveis para saque a partir de amanhã (3) para correntistas do Banco Bradesco, a partir das 16 horas.

O saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) de 8,3 mil trabalhadores de Mato Grosso do Sul, nascidos em janeiro e fevereiro, também deve injetar R$ 11,3 milhões na economia do Estado. Estes trabalhadores aderiram ao saque-aniversário  e a modalidade permite a retirada de parte do saldo de qualquer conta ativa ou inativa do fundo a cada ano, no mês de aniversário, em troca de não receber parte do que tem direito em caso de demissão sem justa causa.

Reabertura do comércio - O comércio varejista, que contempla as lojas de vestuário, perfumaria e armarinhos, tanto no centro de Campo Grande como nos bairros, poderá reabrir a partir de segunda-feira (6), desde que adotadas as normas de biossegurança previstas pela Prefeitura.

Decreto regulamentando a retomada do comércio deve ser publicado ainda hoje (2), segundo o secretário  municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, Luiz Eduardo Costa, que antecipou as medidas em reunião na Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG) junto com representantes do comércio e serviços da Capital.

A prefeitura estabeleceu critérios de risco e definiu 9 atividades que continuam proibidas até o controle epidêmico. Ainda ficaram fechados os shoppings, academias, universidades e o Camelódromo, onde a liberação só deve ocorrer a partir do dia 13 de abril.