ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  01    CAMPO GRANDE 22º

Economia

Transporte por aplicativo fica 3 vezes mais caro com os ônibus em greve

Região Sul e área do bairro Nova Lima se mantêm com preços em alta nesta manhã

Por Caroline Maldonado | 21/06/2022 07:56
Imagem de preço de corrida de apenas seis quilômetros da Vila Nasser até o Jardim dos Estados, que geralmente custava R$ 17, no aplicativo 99 Pop (Foto: Reprodução/Direto das Ruas)
Imagem de preço de corrida de apenas seis quilômetros da Vila Nasser até o Jardim dos Estados, que geralmente custava R$ 17, no aplicativo 99 Pop (Foto: Reprodução/Direto das Ruas)

A consequência da greve dos motoristas de ônibus é o desespero para quem usa o transporte de aplicativo, porque os preços mais que triplicaram na manhã de hoje (21). O sindicato dos motoristas de ônibus decidiu a paralisação depois que a concessionária Guaicurus informou que não pagaria os salários.

A greve não foi anunciada e nos pontos de ônibus muitas pessoas ainda esperavam pelo transporte coletivo no início do dia. Quando os usuários perceberam que precisariam chamar carros de aplicativo, os preços começaram a subir.

Uma corrida de apenas seis quilômetros da Vila Nasser até o Jardim dos Estados, que geralmente custava R$ 17, hoje estava custando R$ 42,50, por volta das 6h30.

Os valores aumentam quanto mais afastado da região central é o bairro, segundo o motorista de aplicativo Osmar Daniel Veiga, de 28 anos. Ele não ia trabalhar durante o início da manhã, mas decidiu sair assim que soube da greve e viu os preços em alta.

Aplicatico de motorista da Uber mostra valores que estão sendo pagos a mais que o normal por corrida em todas regiões da Capital (Imagem: Reprodução/Direto das Ruas)
Aplicatico de motorista da Uber mostra valores que estão sendo pagos a mais que o normal por corrida em todas regiões da Capital (Imagem: Reprodução/Direto das Ruas)

“Vi que os preços estavam dinâmicos e levantei correndo para aproveitar. Não somos nós motoristas que fazemos os preços. É o aplicativo que faz o preço conforme a demanda de pessoas buscando transporte e a disponibilidade de motoristas. Nos pontos de ônibus havia pessoas esperando ainda, porque não sabiam da greve”, contou.

A imagem do aplicativo da Uber do motorista mostra os valores a mais que são pagos por cada região e a cor vermelha indica o valor “dinâmico”, termo que revela preços mais caros que o normal.

As regiões sul e a área do bairro Nova Lima, na região Norte, são as que mais se mantêm com preços em alta agora.

Outra imagem mostra os preços duas vezes mais altos que o normal às 7h40, logo após o período de pico, em que alguns preços mais que triplicaram. O motorista conta ainda que o trânsito ficou mais agitado do que o normal no início da manhã.

“Agora, os valores já não estão tão altos, mas mesmo assim estão o dobro. Acredito que no horário de almoço e fim do dia, os valores devem subir, mas depende da quantidade de motoristas nas ruas”, comenta Osmar.

Greve do ônibus - A decisão da paralisação foi tomada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo e, de acordo com o presidente Demétrio Freitas, a greve é por tempo indeterminado.

A greve começou porque o Consórcio Guaicurus encaminhou um ofício aos trabalhadores anunciando que a situação financeira do grupo é “bastante grave” e não haveria condições de quitar compromissos “inadiáveis”, como pagamento de funcionários e fornecedores.

O repasse do vale referente a 40% do salários dos trabalhadores já não foi realizado ontem (20).  Segundo Demétrio, os veículos não saem das garagens hoje, mesmo que o pagamento seja efetuado ainda nesta terça-feira.

Nos siga no Google Notícias