ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 33º

Educação e Tecnologia

Candidata que sofreu acidente enfrenta transtorno em vestibular da UFMS

Pais afirmam que auxílio de transcritor foi deferido; fundação que realiza a prova nega

Por Cassia Modena e Caroline Maldonado | 03/12/2023 09:58
Laudo médico confirma restrições da candidata (Foto: Paulo Francis)
Laudo médico confirma restrições da candidata (Foto: Paulo Francis)

Foi por pouco que Selena Raquel Alonso Stagliano, 17, não deixou de prestar o vestibular para Medicina na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) neste domingo (3). Uma delegada de polícia precisou intervir para que um funcionário fosse designado como transcritor e a auxiliasse a fazer a prova.

É que Selena segue com dificuldade de mobilidade devido a um acidente de trânsito grave sofrido em agosto deste ano com os avós, em Paranaíba. Dezenas de suturas pelo braço e restante do corpo a deixam impossibilitada de escrever e passar páginas da prova.

"Perguntei mais de três vezes onde estava o transcritor. Daí falei: pelo amor de Deus, quem vai resolver? Veio a delegada, perguntou ali qual funcionário poderia ajudar e disse que a minha filha ia poder fazer a prova. Assim, resolveu", conta o pai, o produtor rural Eduardo Alexandre Stagliano, 48.

Pais de Selena lamentam o transtorno (Foto: Paulo Francis)
Pais de Selena lamentam o transtorno (Foto: Paulo Francis)

Ele e a mãe, a também produtora rural Janine Selena Alonso, 42, garantiram que a filha estivesse dentro da universidade antes do fechamento dos portões. Mesmo assim, a situação só foi resolvida após as provas começarem oficialmente.

Deferido ou não - O pedido de assistência especial para candidatos com deficiência ou alguma dificuldade temporária de realizar a prova deve ser feito com antecedência para a análise da Fapec (Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura), que organiza o vestibular.

No caso do Selena, os pais afirmam que o pedido foi deferido em setembro. Já a assessoria de imprensa da Fapec diz o contrário.

"A candidata em questão teve a solicitação de atendimento especial indeferida. A instituição, portanto, abre um período de recurso para essas situações. A mesma não o fez. Mesmo assim, está recebendo o atendimento necessário ao procurar pela equipe da Fundação", respondeu em nota a instituição.

História se repete - O mesmo transtorno foi vivido por Selena durante o primeiro dia de aplicação de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Ela acabou impedida de fazer, já que transcritor não foi disponibilizado.

Selena falou com a reportagem após ser impedida de fazer o Enem, este ano (Foto: Arquivo/Marcos Maluf)
Selena falou com a reportagem após ser impedida de fazer o Enem, este ano (Foto: Arquivo/Marcos Maluf)

Entrou com recurso para fazer o exame em data especial, mas ele foi negado novamente. A justificativa é que o atendimento que ela pediu só é oferecido para candidatos com dificuldade temporária de mobilidade causada por infecção, segundo os pais de Selena.

Eduardo e Janine ainda não desistiram de tentar viabilizar que a jovem faça parte dos candidatos que farão o Enem na data de reaplicação, 13 e 14 de dezembro. Segundo edital divulgado, os casos permitidos enquadram somente doenças infectocontagiosas, problemas logísticos e local de prova distante.

Ainda este ano, a candidata prestou vestibular da Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) e recebeu a ajuda solicitada. "Foi muito rápido, inclusive", registra a mãe.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias