ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEXTA  18    CAMPO GRANDE 17º

Educação e Tecnologia

Cerca de 2 mil alunos da UFMS vão ficar sem bolsas neste ano

Redução de 18% no custeio em relação ao ano passado, totalizando aproximadamente R$ 17,5 milhões

Por Gabriela Couto | 17/05/2021 13:04
Corte de verbas na UFMS já obriga instituição a ter planejamento para diminuir gastos (Foto Arquivo))
Corte de verbas na UFMS já obriga instituição a ter planejamento para diminuir gastos (Foto Arquivo))

Os reflexos do corte no orçamento da União para a educação devem surgir nos próximos meses na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). A redução de 18% no custeio em relação ao ano passado, totalizando aproximadamente R$ 17,5 milhões, vai impactar não só no corte de gastos para o funcionamento da infraestrutura da instituição, mas também nos auxílios e bolsas de assistência estudantil, programas institucionais voltados para ensino, pesquisa, extensão, inovação e empreendedorismo.

O presidente da Adufms (Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Marco Aurélio Stefanes, afirma que vários alunos dependem dos R$ 400 de bolsa que recebem e o anúncio do corte deve resultar em evasão.

“Hoje são 20 mil alunos de graduação na UFMS. Pelo menos 5 mil dependem de bolsa de algum determinado tipo. Cerca de 2 mil alunos  vão ficar desassistidos. Isso sem contar a pós-graduação. Tememos a evasão que pode começar a acontecer em um mês”, destacou.

Ele relembra que desde 2015 as instituições de ensino passam por situação de contingenciamento. A paralisação das pesquisas científicas é a principal preocupação neste cenário.

Além disso, cursos começam a ser encerrados na UFMS. As graduações de ciências da computação, em Ponta Porã, letras em Três Lagoas e  História, em Coxim estão em suspensão. Não são mais realizados vestibulares para novas turmas.

Segundo o reitor, Marcelo Turine, toda a Administração Central da UFMS está trabalhando em prol dos ajustes necessários para garantir que as atividades acadêmicas e científicas contribuem para a formação dos estudantes e para o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação no Estado de Mato Grosso do Sul e do país.

Sob a liderança da Pró-reitoria de Planejamento, Orçamento e Finanças, todos os contratos e as despesas estão sendo revistos, com o objetivo de priorizar as atividades realmente essenciais. “A administração da UFMS está toda comprometida com a manutenção das atividades que fazem da UFMS uma instituição de excelência, por isso, vamos suspender as despesas que podem ser reduzidas neste momento, até nova avaliação”, explicou.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário