ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 20º

Educação e Tecnologia

Grupo de escolas particulares dá como certa volta às aulas dia 24 de agosto

Reunião prevista para ocorrer nesta quinta-feira vai debater a retomada das aulas presenciais

Por Tainá Jara | 12/08/2020 19:09
Debates sobre retorno das aulas presenciais nas particulares são realizados no MP (Foto: Divulgação)
Debates sobre retorno das aulas presenciais nas particulares são realizados no MP (Foto: Divulgação)

Grupo de representantes de escolas particulares de Campo Grande dá como certo o retorno das aulas presenciais no dia 24 de agosto, embora uma data só seja definida em reunião com o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) e prefeitura agendada para amanhã. As atividades estão suspensas desde o final de março para desacelerar a disseminação do novo coronavírus.

A data para retorno ficou pré-estabelecida no dia 17 de julho, quando foi realizado o último encontro para debater o assunto. Na época, o cenário de escalada dos casos de covid-19 adiou o retorno, mesmo com plano de biossegurança apresentado pelas entidades representantes.

Presidente da Associação das Instituições de Ensino Particular, Lúcio Rodrigues Neto, afirmou que as escolas esperam apenas bater o martelo na reunião de amanhã. “Para mim o calendário está mantido para o dia 24 de agosto. Ninguém falou nada ao contrário”, afirmou. A entidade representa 84 colégios particulares da Capital.

O Sinepe (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino no Mato Grosso do Sul), que representa 380 escolas particulares em todo Estado e mais 48 faculdades privadas, não se pronunciou sobre a possibilidade de retorno ainda neste mês.

Responsáveis pela elaboração dos decretos restritivos durante a pandemia, secretarias municipais não confirmaram o retorno no dia 24 de agosto.

O titular da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana), Luis Eduardo Costa, afirmou que o debate é de responsabilidade da Semed (Secretaria Municipal de Educação). A responsável pela pasta, Elza Fernandes, por sua vez, disse que não legisla sobre esta questão. O prefeito Marquinhos Trad (PSD) não atendeu as ligações da reportagem.

De acordo com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), até ontem, foram registrados mais de 33,5 mil casos de coronavírus, sendo 558 óbitos. A Capital é o epicentro da covid-19 no Estado, onde há 13,7 mil infectados e 203 mortes.