ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 25º

Enquetes

Infringindo lei, 49% admitem que já dirigiram mesmo sob efeito de álcool

Punição para quem é flagrado com qualquer concentração de álcool no sangue ou com sinais de embriaguez é de R$ 2.934,70

Por Aletheya Alves | 17/10/2020 08:15
Detran em blitz da Lei Seca. (Arquivo/Detran)
Detran em blitz da Lei Seca. (Arquivo/Detran)

Suspensão do direito de dirigir por 12 meses, multa de R$ 2.934,70, perda de carteira de motorista e retenção do veículo são punições para quem é flagrado dirigindo sob efeito de álcool. Em casos de níveis acima de 0,34 mg/l de álcool no sangue, o condutor vai preso e é liberado apenas após pagar fiança.

Nesta sexta-feira (16), o Campo Grande News questionou se os leitores já cometeram essa infração. Ao total, 49% disseram que já dirigiram depois de beber e 51% que não.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Destacando a responsabilidade necessária para dirigir, Osmar Cozzatti diz que beber e ser o motorista é “colocar a vida dos outros em risco”. Para ele, é melhor pagar aplicativo de caronas do que ir para a cadeia por matar alguém no trânsito.

Ainda em quarentena, Lucia Vania do Nascimento diz que quando saia para beber costumava sair do volante. Longe do álcool, Ana Bertholez relata que é sempre a motorista da rodada por não beber. “Quem não tem amigo que não bebe, chama o uber”.

Parte da minoria, Erivelto Cunha conta que tinha o mal hábito. "Aí um belo dia tive prejuízo monstro. Agora para beber vou de carro de aplicativo, levo alguém que não bebe de motorista ou nem vou”.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário