A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

16/02/2010 08:03

Blocos resgatam tradicional Carnaval de rua da Capital

Redação

Centenas de foliões acompanharam os blocos de rua de Campo Grande na segunda-feira de Carnaval, ao som das tradicionais marchinhas, de sambas-enredo e até de cantigas infantis.

Os 14 blocos saíram na "passarela cultural" e animaram o público, relembrando os antigos carnavais. Os blocos desfilaram pela Esplanada Ferroviária, partindo do Armazém Cultural até a Avenida Mato Grosso.

A festa dos blocos e cordões começou por volta das 21h, quando o prefeito Nelsinho Trad (PMDB) deu início a folia, que atraiu quase 3 mil pessoas. "Espero que vire tradição, parabéns para vocês!", saudou Nelsinho.

O primeiro bloco a desfilar foi o convidado "Cordão da Valu", que desde 2006 reúne amigos. O professor Daniel Amorim, 31 anos, marca presença todo ano, "o bloco fez 4 anos e cresce a cada ano, não falta ânimo para a moçada".

A idéia de ter uma opção ao desfile das escolas de samba ou ao Carnaval de rua na Fernando Corrêa da Costa fez muita gente ir prestigiar a festa. O funcionário público Haroldo Pereira, 43 anos, assistia o bloco passar com a família, "achei ótima a idéia, faltava um lugar para trazer a família, sem aquelas confusões que acontece na Fernando Corrêa", comenta.

Reviver os antigos Carnavais, com marchinhas e fantasias animou a arquiteta Mara Fechner, 48 anos, "faltava um Carnaval sadio na cidade. A festa aqui (em Campo Grande) já foi muito boa, tem que voltar aos bons tempos", ressaltou. O ritmo das bandinhas também foi lembrado, "os clubes hoje só tocam axé, ninguém tocava mais marchinhas", disse a arquiteta.

As bandas presentes foram: Banda Tereré", formada por funcionários da Santa Casa de Campo Grande, seguida pela "Tô na Onda", do Jardim Anache e "Tô que Tô" formada por moradores dos bairros Los Angeles e Indapuru.

O local do desfile, na esplanada ferroviária, agradou aos foliões, "é uma festa no Centro, lá em baixo (Via Morena) é muito longe", disse a aposentada Iraci Francisca Maidana, de 70 anos. "Parece até antigamente, quando era ali na 14 de julho", lembrou.

A segurança do evento teve a presença da PM, além de 40 seguranças particulares. A organização disponibilizou 8 banheiros químicos para os foliões e arquibancadas para assistir o desfile. Seguiram no desfile os blocos: Quero Quero, do Estrela do Sul; Unidos das Margaridas, do Cabreúva; Saúde é o que Interessa, organizado pela Clínica Campo Grande; Amor eu vou ali, da Mata do Jacinto; Bebe, cai e levanta, da Coophavila II e Tarumã; Bem-te-vi, do São Francisco e Zona Norte e a Banda do BH, do Jardim Belo Horizonte.

Identidade

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions