ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 24º

Esportes

Campeão do Estadual, Costa Rica pode ser rebaixado por manipulação de resultados

Clube do interior e Comercial são investigados; punição é de até 360 dias de suspensão e rebaixamento

Gabriel de Matos | 04/05/2023 17:15
Jogadores do Comercial e Costa Rica disputando jogo no Estádio Jacques da Luz (Foto: @eduardofotoms)
Jogadores do Comercial e Costa Rica disputando jogo no Estádio Jacques da Luz (Foto: @eduardofotoms)

O TJD-MS (Tribunal de Justiça Desportiva de Mato Grosso do Sul) abriu inquérito para investigar possível manipulação de resultados feita pelo Comercial e Costa Rica. Ambos jogaram o Campeonato Sul-Mato-Grossense Série A de 2023. A suspeita leva em conta os dois jogos entre os clubes na competição. A punição pode ir até 360 dias de suspensão de atividades e rebaixamento imediato.

A notificação foi enviada pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) com base em relatório da empresa Sportradar. Ela faz parte do UFSD (Sistema Universal de Detecção de Fraudes) e analisou o mercado de apostas da partida em questão.

"Esse jogo levanta um nível credível de preocupação do ponto de vista da integridade devido às fortes apostas em favor de que ao menos dois gols seriam marcados no primeiro tempo", destaca o ofício da CBF.

Os dois jogos em questão são do grupo A. O primeiro jogo foi pela 4ª rodada e o Costa Rica venceu por 2 a 0, com os gols no primeiro tempo. Já o segundo valia a permanência do Comercial na Série A.

O primeiro tempo terminou em 1 a 0 para o Costa Rica. O placar final foi de 2 a 2, com o Comercial buscando o empate nos instantes finais. Na rodada seguinte, o time campo-grandense foi rebaixado ao perder para o rival Operário no clássico.

Já o Costa Rica chegou ao bicampeonato estadual no último domingo (30). Segundo o TJD-MS, as partes não foram notificadas até as 16h desta quinta-feira (4). Representantes do Comercial e Costa Rica devem ser ouvidos na próxima semana.

Costa Rica foi campeão estadual no último domingo (Foto: @eduardofotoms)
Costa Rica foi campeão estadual no último domingo (Foto: @eduardofotoms)

Evidências - O relatório da Sportradar aponta quatro evidências da suposta manipulação de resultados. O primeiro informa que as casas de apostas monitoradas registraram "fortes interesses" para ao menos dois gols no primeiro tempo. Dos mercados possíveis, 91% foram para esta modalidade, o que soma cerca de R$ 200 mil (37.943,00 euros).

O segundo ponto envolve as notícias recentes sobre os clubes, que seriam "incapazes de explicar a confiança nas apostas exibidas". Segundo o documento, "esses dados ilustram claramente o interesse anormal que foi demonstrado para esse resultado". Porém, vale ressaltar que o primeiro tempo acabou em 1 a 0 e as apostas foram malsucedidas.

A terceira evidência salienta que o Comercial foi implicado na manipulação da última entre os clubes na mesma competição vencida pelo Costa Rica por 2 a 0 com dois gols no primeiro tempo. Assim, o último ponto explica que "não é possível distinguir quem poderia estar envolvido na possível manipulação da partida".

Time do Comercial no dia da partida diante do Costa Rica no Estádio Jacques da Luz (Foto: @eduardofotoms)
Time do Comercial no dia da partida diante do Costa Rica no Estádio Jacques da Luz (Foto: @eduardofotoms)

Procedimento - O presidente do TJD-MS, Patrick Hernands Santana Ribeiro, destaca que o inquérito está com base no CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva), que trata da investigação sobre manipulações de resultados.

"Como o Tribunal não tem elementos ainda para denunciar uma ou mais pessoas ou clubes, o inquérito é necessário para investigação preliminar para levantamento das provas", explica Patrick ao Campo Grande News.

O prazo para investigação é de 15 dias, podendo ser prorrogado por mais 15. O próprio Tribunal conduz as investigações. "Como não temos poder de polícia, estamos solicitando auxílio do Ministério Público para nos apoiar, tanto no inquérito quanto no processo disciplinar, caso sejam encontrados elementos para um julgamento", explica.

O presidente Patrick informou que até os auditores do TJD André Luis Andrade de Oliveira e Emerson Cristaldo do Nascimento conduzirão o feito inicial e vão ouvir as partes envolvidas na próxima semana.

Punição - O presidente do TJD esclareceu que os clubes podem ser suspensos de 6 a 24 partidas ou de 180 a 360 dias. Além disso, há a multa que vai de R$ 100 a R$ 100 mil. "Se o clube estiver envolvido, por seu dirigente, o clube pode ser automaticamente rebaixado para divisão inferior do campeonato seguinte".

Assim, se a manipulação for constatada na investigação do TJD, a depender de quem está envolvido, o Costa Rica pode perder o título estadual. "Se for comprovada a participação do clube na manipulação do resultado sim, pois o CBJD possibilita a exclusão do clube da competição", destaca Patrick.

Já o Comercial até o momento jogará a Série B em 2024. Como a divisão mais baixa da FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul) é a segunda divisão, o presidente explicou que é uma possibilidade ficar nesse nível.

Posicionamento - A reportagem do Campo Grande News contatou as partes investigadas. O presidente do Comercial, Cláudio Barbosa, respondeu que o "clube está tranquilo, não tem problema algum. O clube está isento, tanto a instituição quanto os dirigentes. Tranquilidade total".

Ele ainda complementou que o Esporte Clube Comercial não compactua com "nenhuma jogatina, nem manipulação de resultados".

O Costa Rica Esporte Clube foi consultado para se posicionar. Em nota, o presidente André Baird, respondeu que também tem "total tranquilidade e não temos esquema nenhum com manipulação de jogos. O Costa Rica vinha ganhando todos os jogos, dentro e fora de casa. Tivemos os problemas com o atacante que era o artilheiro do campeonato. Na semana seguinte, perdemos o atacante, treinador por problemas familiares. Graças a Deus chegamos ao título com um trabalho honesto".

(*) Matéria atualizada às 22h51 para acréscimo de conteúdo.

Nos siga no Google Notícias