ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUARTA  18    CAMPO GRANDE 13º

Esportes

Estadual feminino só tem clubes que jogam pela paixão sem receber nada

Por Helton Verão | 10/11/2013 10:23
Comercial conta com 23 atletas, que almejam seguir os passos das jogadoras que chegaram a seleção
Comercial conta com 23 atletas, que almejam seguir os passos das jogadoras que chegaram a seleção

Mesmo com jogadoras sendo reconhecidas nacionalmente e chegando até a seleção brasileira de futebol, dinheiro ainda é coisa para poucas atletas em Mato Grosso do Sul. O Campeonato Estadual Feminino de 2013 começa na próxima semana, com a provável participação de nove clubes. O mais curioso é que desses, oito clubes não são remunerados. E o único em que as atletas recebem para jogar, o MS Saad, possivelmente irá desistir da disputa.

Para as meninas do futebol sul-mato-grossense, a realidade é trabalhar durante o dia e ainda treinar à noite. “Falta incentivo, por isso elas não tem salário. Trabalham durante o dia para se sustentar e treinam futebol a noite por amar o esporte”, conta o técnico das Moreninhas, Karlos Alberto Oliveira, de 52 anos.

O treinador diz que antes as meninas treinavam uma vez por semana, mas agora o grupo de 34 mulheres cumpre a tarefa todos os dias após às 18 horas, para ninguém faltar ao serviço nos outros períodos. “Vejo o futebol feminino aqui em uma crescente. Essas pessoas atuam sem salário muito além do amor, é pelo resgate do futebol do Estado”, ressalta Oliveira.

De acordo com o técnico, além dele, médico e preparador físico atuam sem receber salário. “E toda semana cada vez mais mulheres procuram o clube para treinar e participar da competição”, revela.

Para garantir seu pão de cada dia, Karlos faz assessoria esportiva para alguns clubes.

Em um dos maiores e mais famosos times do Estado, não é diferente, o grupo de 23 mulheres mais a técnica Romilda Campos, de 40 anos, também atuam sem salários no Comercial. “Estamos aqui por que gostamos. Falta mais interesse dos presidentes e das empresas, tem tanta que vem de fora, se interessa pelo nosso estado, poderia se interessar pelos times daqui”, avalia Romilda.

Ela lembra de atletas que se destacaram em Mato Grosso do Sul para brilhar em gramados do mundo todo. O Comercial irá contar com a jogadora da seleção brasileira Sub-20, a atacante Patrícia Shocor, de 19 anos. “Ainda existem outros nomes que se destacaram por aqui como a Beatriz e a Isabela. A primeira já chegou a seleção e a outra é destaque do XV (de Piracicaba)”, comenta a comandante.

Beatriz e Patrícia foram destaque nos gramados sul-mato-grossense com direito a passagens pela seleção. A última vai jogar pelo Comercial sem receber nada também
Beatriz e Patrícia foram destaque nos gramados sul-mato-grossense com direito a passagens pela seleção. A última vai jogar pelo Comercial sem receber nada também

Romilda diz que antes de ser treinadora, era dona de casa, o marido segue sustentando a família, enquanto além de comandar a equipe, ela também é uma espécie de representante comercial do Colorado. “Além de treinar, tenho que correr atrás de dinheiro para as viagens e despesas do clube”, lamenta a técnica.

Quem sabe em 2014 – O Campo Grande News procurou o presidente do Comercial, Luiz Cortez para saber sobre a remuneração. Ele confirma que o clube enfrenta este problema por estar endividado, mas que vê uma luz no fim do túnel, mas só para 2014. “Até o fim do ano elas vão começar receber o salário e 2015 a modalidade poderá se consolidar”, comentou Cortez.

No clube das Moreninhas, como não existe ninguém no comando, Karlos Oliveira pretende no futuro ser gestor para montar uma direção profissional.

Desistência – O MS Saad, único clube com o status dos salários, não deverá disputar o campeonato. Tudo porque o clube não possui sede em Mato Grosso do Sul e disputa diversos campeonatos pelo Brasil. “Conquistamos a classificação em duas competições por outros estados do Brasil. Até pedimos para a Federação (FFMS) adiar o campeonato para dezembro, mas não foi possível. Nos próximos dias deveremos confirmar que não vamos disputar a competição”, comenta o presidente do MS Saad em São Paulo, Romeu Carvalho de Castro.

Antes da desistência oficial, o time continua na tabela da competição, que conta também com a participação de Comercial, Porto e Ubiratan (Grupo A), Moreninhas e Maracaju (grupo B) e Camapuã, Serc e Operário (grupo C). A primeira rodada está marcada para a próxima sexta-feira, dia 15, com três jogos. Comercial e Porto, Moreninhas e MS Saad, e Camapuã e Serc.

Apenas em jogos de turno, os dois melhores de cada grupo se classificam  para a segunda fase. Nela eles se dividem em duas novas chaves de dois, classificando o melhor de cada uma delas, fazendo a final.

Nos siga no Google Notícias