A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 19 de Junho de 2018

30/04/2018 14:46

Por 35 votos a 2, Cezário segue como “mandatário” do futebol de MS até 2023

Atual presidente da Federação de Futebol do Estado é reeleito. Mandato tem início em abril do ano que vem

Gabriel Neris e Kleber Clajus
Francisco Cezário foi reeleito para mais quatro anos a frente da Federação de Futebol do Estado (Foto: Paulo Francis)Francisco Cezário foi reeleito para mais quatro anos a frente da Federação de Futebol do Estado (Foto: Paulo Francis)

Francisco Cezário permanecerá como presidente da FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul) até abril de 2023. A eleição marcada para a tarde desta segunda-feira (30) ocorreu rapidamente no hotel Grand Park, em Campo Grande, e garantiu o dirigente a frente da entidade. Sem concorrente, foram 35 votos a favor e somente 2 contra, além de 2 abstenções.

Cezário contou com o apoio de alguns dos principais clubes para ser eleito pela sexta vez consecutiva. A chapa conta com oito vices, entre eles os atuais presidentes do Operário e Novoperário, Estevão Petrallas e Américo Ferreira, respectivamente. O novo mandato terá início em abril do ano que vem.

Reeleito, Cezário afirma que o momento é de tentar constituir um legado até o fim do ano e depois pensar no futuro. Atualmente, Mato Grosso do Sul tem duas vagas na quarta e última divisão do futebol nacional, distante de outros estados.

Segundo ele, a meta principal é manter o Morenão ativo e uma das possibilidades seria criar uma gestão compartilhada do estádio – hoje administrada pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) – envolvendo a federação e o governo do Estado, através da Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul).

O estádio Morenão tem sido alvo constante do MPE (Ministério Público Estadual). No Campeonato Sul-mato-grossense foram realizados quatro jogos com portões fechados por falta de laudos. Duas partidas do Novoperário, sendo uma pela Copa do Brasil e outra pela Série D, também ocorreram sem torcida. Outro estádio na mira do MPE é o Jacques da Luz, nas Moreninhas, que não recebeu nenhum jogo neste ano e segue interdito por recomendação do órgão.

Com a situação financeira dos clubes do Estado comprometidas, Cezário afirma que nenhum é dependente da federação e que nunca deixaram de ter apoio. “Não interferimos, somos conselheiros”, afirmou.

Presidente do Operário e eleito vice na chapa de Cezário, Estevão Petrallas diz que “aparentemente não existe uma mudanças, mas o que de fato ocorreu foi uma oxigenação na vice-presidência”. Também aparecem como vice-presidentes Américo Ferreira, Romeu Castro, Miro Rodrigues, Carlos Alberto de Assis, Marco Tavares, Alfredo Zanutti e Joaquim Soares.



KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
É ou não é uma esculhambação.
 
Critico em 30/04/2018 19:50:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions