A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 19 de Janeiro de 2018

24/09/2017 20:34

Vitória ganha fora de casa, sai da zona da degola e deixa Atlético-MG em crise

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

No confronto entre os dois piores mandantes do Campeonato Brasileiro, se deu bem quem jogou fora de casa. Neste domingo, no estádio Independência, o Vitória se aproveitou dos erros do Atlético Mineiro para derrotá-lo por 3 a 1, pela 25ª rodada, deixando a zona de rebaixamento.

Este foi o quarto triunfo consecutivo do Vitória como visitante, desempenho que o levou a chegar aos 29 pontos, na 16ª posição, ganhando um respiro considerável na luta contra o descenso, no rumo inverso da situação vivida pelo Atlético-MG após a derrota deste domingo.

O time mineiro ganhou apenas três dos 13 jogos que fez como mandante, tendo sofrido a sétima derrota em casa no Brasileirão, algo que provocou protestos da torcida, que pediu a saída do técnico Rogério Micale durante boa parte do segundo tempo e também após o apito final. Além disso, agora o time está mais próxima da zona de rebaixamento, em 11º lugar, com 31 pontos.

Os times voltarão a jogar pelo Brasileirão no próximo domingo. O Vitória vai encarar o Botafogo no Engenhão, enquanto o Atlético-MG vai até a Arena da Baixada para enfrentar o Atlético Paranaense.

O JOGO - Mal a partida havia começado o jogo e o Vitória já estava em vantagem. Com apenas dois minutos, um lindo passe de Filippe Soutto, formado nas divisões de base do Atlético-MG, e um apagão da defesa levaram a equipe baiana a abrir o placar. Da entrada da grande área, o volante acionou Neilton nas costas dos zagueiros e o atacante não desperdiçou a chance, finalizando na saída de Victor: 1 a 0.

A vantagem precoce levou o Vitória a recuar todos os jogadores para trás da linha da bola, enquanto o Atlético passou a ocupar o campo de ataque. O problema é que faltava criatividade para encontrar os espaços na defesa adversária. Mas aí Fred e Cazaeres trocaram de funções e o time conseguiu arrancar o empate. Aos 17 minutos, o centroavante foi acionado por Fábio Santos, fez o pivô e deu um passe de calcanhar para o meia. Livre, o equatoriano invadiu a área e finalizou às redes.

O gol empolgou a torcida presente ao Independência e poderia representar o início de uma reação do Atlético, mas isso não aconteceu. O Vitória mudou de postura em campo e avançou mais ao ataque. Não criou chances de gol, mas fez o suficiente para evitar qualquer pressão da equipe da casa no restante da etapa inicial, ainda mais que o Atlético errava passes em excesso.

O desempenho da equipe mineira não melhorou muito no segundo tempo. O cenário era de tentativa de pressão do Atlético diante de um Vitória recuado, mas o time encontrava dificuldades para acelerar. Assim, só chegava com perigo em lances isolados, como aos dez minutos, quando Valdivia fez boa jogada individual e cruzou para Fred, que cabeceou em cima do goleiro Caíque.

Preocupado, o técnico Rogério Micale abriu ainda mais o time ao sacar um volante - Adílson - e colocar o meia-atacante Otero. E o venezuelano deu um susto logo no seu primeiro lance, na sua especialidade, a cobrança de falta, que foi defendida por Caíque

O problema para o Atlético é que o seu sistema defensivo voltou a falhar. Aos 22 minutos, Leonardo Silva cabeceou para trás, mas não contava com a velocidade de Tréllez, que ganhou a disputa com os defensores, cortou Victor e deu passe para Yago, que finalizou para marcar.

O gol aumentou o clima de tensão no Independência. Insatisfeita, a torcida atleticana passou a protestar contra Micale. E, em campo, o time exibia nervosismo, com muitos erros, ainda que tenha conseguido criar várias oportunidades de gol, em lances individuais de Otero ou em jogadas de bola parada, quase todas elas cobradas pelo venezuelano. Na melhor delas, em finalização da entrada da área, aos 44 minutos, ele parou na trave.

Novamente, porém, o Vitória voltou a aproveitar falha do Atlético. Já nos acréscimos, Tréllez ganhou disputa com Alex Silva e tocou por cima de Victor, marcando um belo gol em contra-ataque, definindo o triunfo do clube baiano.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 1 x 3 VITÓRIA

ATLÉTICO-MG - Victor; Alex Silva, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adilson (Otero), Yago, Valdívia, Cazares e Luan (Marlone); Fred (Rafael Moura). Técnico: Rogério Micale.

VITÓRIA - Caíque; Ramon, Kanu, Wallace Reis e Geferson; Fillipe Soutto, Uillian Correia e Yago (René); David (Kieza), Tréllez e Neílton (Júnior). Técnico: Vagner Mancini.

GOLS - Neilton, aos dois, e Cazares, aos 17 minutos do primeiro tempo. Yago, aos 23, e Tréllez, aos 48 minutos do segundo tempo

ÁRBITRO - Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO).

CARTÕES AMARELOS - Cazares e Tréllez.

RENDA - R$ 144.919.

PÚBLICO - 10.865 presentes.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions