A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


03/03/2016 06:00

Bloco do PSDB na Assembleia Legislativa sofre baixa

Waldemar Gonçalves

De saída – Durou poucos dias a permanência da deputada estadual Grazielle Machado (PR) no bloco parlamentar formado pelo PSDB na Assembleia Legislativa. Ela disse que decidiu sair por estar pouco confortável no grupo: “a gente fica onde se sente bem”, disse, em pronunciamento na sessão de ontem.

Nem base, nem oposição – Agora, Grazielle se declara “independente”, nem contra nem base do governo estadual. Segundo ela, a decisão foi totalmente pessoal, sem interferência do partido. Seu colega de bancada, o deputado Paulo Corrêa, se mantém no bloco do PSDB.

Prematura – Para o líder do grupo, Beto Pereira (PSDB), a decisão da deputada “foi prematura”. Ele disse não saber os motivos que levaram à saída de Grazielle, o que também não foi explicado pela própria durante seu discurso e entrevista.

Na madrugada – Segundo o secretário municipal de Governo, Paulo Pedra, o prefeito, Alcides Bernal (PP), acordou às 3h30 por conta da chuva que caía na cidade, no pior temporal em 10 anos. Bernal foi convencido por secretários, via Whatsapp, de que seria melhor esperar a chuva passar antes de sair às ruas conferir os prejuízos.

Pelo ralo – Ao comentar a situação da cidade, Pedra criticou a gestão de Gilmar Olarte (PP), dizendo que, quando Bernal estava fora do cargo, reajustes eram feitos sem o menor planejamento, causando prejuízos à administração municipal. Uma gestão irresponsável em que o dinheiro “escapava pelo ralo”, analisou.

Comissões – O presidente da Assembleia Legislativa, Junior Mochi (PMDB), espera que até hoje os dois blocos e a bancada do PT indiquem integrantes das comissões permanentes. Mencionou que hoje, última sessão da semana, serão votados projetos remanescentes de 2015 e que, na próxima, com essas comissões formadas vão se analisar novas matérias.

Publicidade - A Sanesul lançou ontem concorrência pela conta publicitária da empresa, responsável pelos serviços de saneamento básico em vários municípios de Mato Grosso do Sul. Quem vencer o pregão abocanhará uma conta com verba estimada de R$ 1,5 milhão. As propostas serão abertas em 20 de abril, às 9 horas.

Emergencial – O vereador Eduardo Cury (PTdoB), que é médico e durante anos foi o coordenador do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) em Campo Grande, mesmo assumindo a vereança, em agosto do ano passado, não deixou a carreira de lado. Ontem, durante audiência pública no parlamento para debater iluminação pública, ele apareceu com uniforme de médico e teve que se ausentar mais cedo para atender uma emergência.

Perda de autonomia – O deputado estadual Felipe Orro diz que ficou chateado com o cancelamento das eleições de diretórios municipais do PDT. Segundo ele, a medida resulta em perda de autonomia das lideranças nos municípios. Apesar de falar em descontentamento, Orro segue no grupo pedetista.

Antidrogas – O deputado Rinaldo Modesto fez indicação para que o governo crie uma subsecretaria de políticas públicas sobre drogas. Segundo ele, a vice-governadora, Rose Modesto, já apresentou a proposta e foi bem recebida pelo governador, Reinaldo Azambuja (PSDB). Seria uma forma de destinar mais recursos a ações preventivas e de recuperação de dependentes químicos, já que hoje existe apenas um conselho estadual sobre o tema.

(com a redação)

 

Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions