ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUARTA  08    CAMPO GRANDE 16º

Jogo Aberto

Comercial ganha, mas não leva R$ 20 mil confiscados

Por Gabriel Neris e Leonardo Rocha | 26/02/2020 06:00
Partida no sábado, no Morenão. (Foto: Henrique Kawaminami)
Partida no sábado, no Morenão. (Foto: Henrique Kawaminami)

Rasteira - Dentro de campo, o Comercial venceu o Operário no sábado de Carnaval. Mas levou um tombo inesperado fora dele. Os R$ 20 mil de renda da partida foram confiscados por oficiais de Justiça que estavam no Morenão.

Devendo - Os valores devem ser utilizados para pagamentos de dívidas trabalhistas do clube com jogadores que já passaram pelo clube. A falta de dinheiro continua neste ano e provocou ameaças de greve durante esta edição do Campeonato Estadual.

Pontos em jogo - Os jogadores de qualquer clube prejudicados podem acionar o Tribunal de Justiça Desportiva, caso haja atraso no pagamento de salário, o que acarretará em perda de pontos. Até o momento, ninguém teve coragem.

Temas do momento - Os parlamentares do Estado estão “brilhando” neste começo do ano em Brasília. A senadora Simone Tebet (MDB) participa da comissão da reforma tributária, principal assunto do Congresso.

Virou notícia - O sul-mato-grossense, deputado federal Fábio Trad (PSD), também vira e mexe aparece no noticiário nacional. Ele é o relator da PEC da Prisão em Segunda Instância. Outro assunto delicado que deve ganhar fôlego a partir de março.

Pronto - Fábio Trad, inclusive, deve entregar o relatório nos próximos dias, defendendo que da execução da pena logo após condenação em segunda instância deve ser aplicada apenas a novos processos.

Sumido - O prefeito Marquinhos Trad (PSD) preferiu ficar em casa durante o Carnaval, em Campo Grande. Ativos apenas nas redes sociais nos últimos dias, usou o Instagram para divulgar a programação na cidade.

No Insta - Marquinhos só apareceu na semana passada para lançar a “folia de Momo” e avisar ao eleitor para “ficar de olho em candidato que só aparece no Carnaval”.

Fora de debate - Tema muito debatido no começo do ano passado, a segurança não tem sido tema dos projetos dos deputados de Mato Grosso do Sul em 2020. Até agora, nenhum parlamentar apresentou propostas sobre o assunto.

Outro quadrado - O receio dos deputados sobre segurança é porque muitos projetos apresentados no ano passado foram vetados. A justificativa era que as medidas não eram de prerrogativa do legislativo e que trariam gastos não previstos no orçamento.