ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SÁBADO  13    CAMPO GRANDE 

Jogo Aberto

Depois das chapas coletivas, vem aí o "co-prefeito"

Por Fernanda Palheta e Anahi Zurutuza | 24/06/2024 06:00
Deputada Camila Jara ao lado do deputado estadual Zeca do PT (Foto: Divulgação)
Deputada Camila Jara ao lado do deputado estadual Zeca do PT (Foto: Divulgação)

Nova modalidade – O PT vai inovar na disputa pela Prefeitura de Campo Grande. A chapa encabeçada pela deputada federal Camila Jara (PT), ao invés de vice, terá um "co-prefeito". A nova modalidade foi anunciada na manhã deste sábado (22), quando o partido confirmou o nome do deputado estadual Zeca do PT como pré-candidato a vice-prefeito.

Não será figurante – O presidente municipal da sigla, Agamenon Rodrigues, explicou a diferenças. "Nas discussões internas nossa é que ele vai um co-prefeito, ele vai estar participando efetivamente das ações da Prefeitura de Campo Grande", disse.

Estratégia – A nova nomenclatura pode ser uma estratégia do Diretório Municipal para aumentar o prestígio do cargo para alocar uma das principais lideranças do PT, que já ocupou o maior cargo de Mato Grosso do Sul.

Aécio do PT – O evento ainda registros de novos filiados, e um nome não passou batido. Ao ler a ficha, Agamenon disse que deveria falar baixinho: Aécio, mas alguém logo resolveu o problema do nome que assombra os petistas até hoje: "É o Aécio do PT". A solução foi aprovada por todos, que riram e aplaudiram o novo petista.

Distopia – Vídeo que mostra o contraste impactante do Pantanal em chamas bem em frente à festa do Banho de São João em Corumbá (MS) chamou muito a atenção neste domingo. O choque mereceu até texto do promotor de Campo Grande, Douglas Oldegardo, que além de atuar no Tribunal do Júri da Capital em busca da condenação de criminosos, é engajado em pautas sociais. “Distopia! A vida segue, enquanto o mundo acaba! Não há erro na premissa”, diz o início da postagem em tom crítico feito pelo operador do Direito.

Empenho – Publicamente, o promotor cobra empenho no combate ao fogo. “Permitir que o Pantanal queime o levará à morte. E indo à morte, tudo que dele vive perecerá. Daria um tratado, a ruína econômica que atingiria toda região abrangida pelo nosso pantanal. Mas não é disso que falo. Falo de ingratidão e apatia”, disserta.

Dois pesos – Fato é que ninguém testemunhou grandes mobilizações pela causa até agora, diferente do que se viu quando o Rio Grande do Sul se viu abalado por tragédia igualmente ambiental, por exemplo. Donos dos grandes engajamentos nas redes sociais sequer foram a público. “Ingratidão por termos um dos maiores tesouros naturais da humanidade e, ao vê-lo ardendo em chamas, não unirmos forças para salvá-lo. Uma ressalva: Forças públicas locais, aliados aos pantaneiros, estão lá, arriscando vidas na tentativa de conter isso. Mas são poucos. E com recursos insuficientes pra isso. Mas o país tem. E onde eles estão?”, também questiona Oldegardo.

Corazón partío – Ironia do destino ou não, a filmagem que mostra vida e morte frente a frente em Corumbá foi feita bem no momento que do palco é entoada música de Alejandro Sanz, famosa nos anos 90. A letra fala de um “corazón partío” e cita o ditado: “o que o coração não vê, o coração não sente”. Bem, a triste realidade do Pantanal foi escancarada em vídeo divulgado na noite de sábado. Talvez traga resultados práticos.

Parabéns – No fim de semana, o governador Eduardo Riedel (PSDB) usou as redes sociais para agradecer o empenho de quem trabalha no combate ao fogo no Pantanal. “Hoje quero fazer um post de agradecimento aos valentes homens e mulheres do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, que, incansavelmente, combatem os incêndios no Pantanal, enfrentando o fogo dia e noite em uma área de difícil acesso. São pessoas que deixam suas casas e famílias para proteger nosso meio ambiente e nossa fauna. A dedicação e o compromisso de vocês são inspiradores”.

Vasectomia já! – Discurso da senadora Soraya Thronicke (UB) viralizou durante a semana. Crítica ao PL 1904, que quer impor restrições ao aborto legal em caso de estupro no Brasil, ela chamou a atenção fazendo ironia, chamando para reflexão. Disse que o SUS oferece vasectomia gratuitamente e não vê o Congresso legislar sobre o corpo dos homens – obrigando-os a fazer o procedimento em determinadas circunstâncias, por exemplo. Um dos posts em página de “fofoca” no Instagram ganhou 250 mil curtidas.

Nos siga no Google Notícias