ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 17º

Jogo Aberto

Ex-juiz “blogueirinho” conta podres do Judiciário de MS

Por Fernanda Palheta | 15/05/2024 06:00
Ex-juiz em publicação no Instagram.
Ex-juiz em publicação no Instagram.

Podres - O ex-juiz José Andrade, conhecido por pedir exoneração de uma das carreiras mais disputadas no Brasil, para ser influencer digital, tem contado para os seguidores alguns podres de Mato Grosso do Sul. Em 21 anos de magistratura, ele disse que nunca foi lhe oferecido suborno, mas lembrou que uma desembargadora aposentada o procurou certa vez, como advogada, sugerindo um jeitinho a favor do cliente que só recebia decisões contrárias do magistrado.

Comigo não - Sem citar nomes, Andrade garantiu que nem deu tempo para a mulher continuar com a oferta. “Ela colocou a mão na mesa, e perguntou se tinha alguma outra maneira da gente resolver a situação. Na hora eu disse: a senhora levanta daqui e vai embora agora, antes que eu mande lhe prender". O ex-juiz tem mais de meio milhão de seguidores no Instagram.

Fogo no parquinho - Tem gente querendo ver o circo pegar fogo na Câmara Municipal, com dois desafetos pertinho durante as sessões. O oftalmologista Lívio Leite (União Brasil) assume a vaga de Claudinho Serra, para o desconforto de Tiago Vargas (PP). Também servidor do Estado, Foi Lívio que assinou a perícia médica para exclusão de Tiago da Polícia Civil, em 2020.

Tara o que? - A votação de projetos pautados na Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) “engasgou” quando chegou a vez da proposta que declara a região de Tarapacá, Norte do Chile, Estado Irmão de Mato Grosso do Sul. Isso porque os parlamentares não conseguiam pronunciar o nome do local.

Trocadilho - O trava-língua ainda desencadeou uma breve discussão. O deputado Júnior Mochi (MDB) apontou que a região chilena deveria ser informada. Os colegas garantiram que o contato já havia sido feito. Com a deixa, o deputado Pedro Kemp (PT) não perdeu a piada. "Talá e pacá", em referência lá e cá.

Melhores vinhos - Com o desdobramento da conversa sobre a região chilena, o deputado Zeca do PT mostrou que conhece bem o pedaço, dizendo que é o local onde é produzido um dos melhores vinhos do Chile. Imediatamente o presidente da Alems, deputado Gerson Claro (PP) completou: "Então é nosso irmão!". Prestes encerrar a votação, o presidente ainda chamou o deputado Coronel Davi (PL) para votar e alertou: "Vamos votar, você vai ficar sem vinho". O projeto foi aprovado em segunda discussão na sessão desta terça-feira (14).

Destino de 60 milhões - O presidente da Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores de Mato Grosso do Sul) foi até a Assembleia Legislativa prestar contas sobre aplicação de R$ 60 milhões repassados pelo governo do Estado como compensação dos gastos feitos durante a pandemia de covid-19. Mas Ricardo Ayache não convenceu todo mundo.

Quero mais - O relatório apresentado por Ayache ainda será encaminhado para a Comissão de Acompanhamento, mas o deputado João Henrique (PL) já disse que quer mais, porque, no dia 24 de abril, apresentou um requerimento cobrando números à Cassems, e até agora nada. “Quero saber os números de credenciados, números de atendimentos oncológicos, credenciadas, valores repassados, descredenciamentos e pagamentos realizados à Suda Odonto Planos de Saúde”, avisou.

Massacrados - Revoltada com críticas ao agro, após enchentes no Rio Grande do Sul, a ex-ministra da Agricultura e senadora Tereza Cristina (PP) reclamou de ouvir por aí que todas as catástrofes ambientas são responsabilidade dos fazendeiros. "Dizem que o agro é responsável por todas as catástrofes [ambientais], inclusive a de agora, do Rio Grande do Sul, mas o agro brasileiro é altamente sustentável", afirmou em Nova York, durante a quarta edição do Lide Investment Forum.

Fertilizar - Ela aproveitou para falar da importância de investimentos no setor de fertilizantes. “Precisamos apostar nele. Trazer indústrias. Hoje o Brasil importa 90% dos nossos fertilizantes porque ele é essencial para agricultura. O Brasil é um dos poucos países do mundo que está pronto para virar a chave a medida que o mundo tenha necessidade de comida para sua segurança alimentar", argumentou.

Nos siga no Google Notícias