A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


06/04/2017 06:00

Governo de MS aguarda Temer para mexer na Previdência

Waldemar Gonçalves

À espera de Temer – O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), voltou a dizer ontem que só mudará o projeto estadual sobre a Previdência depois que o presidente, Michel Temer (PMDB), mudar o artigo 40 da Constituição Federal, que trata das regras como tempo de contribuição, idade mínima e diferença entre mulheres e homens.

Muito estranho – "Acho muito estranho que 27 estados tenham legislações diferentes em relação à Previdência dos servidores. Acho que deve ter um reordenamento dos temas para que haja uma simetria", aponta o governador.

Mackenzie – Campo Grande pode contar futuramente com mais um estabelecimento de ensino de renome nacional. Representante da Mackenzie se reuniu, na terça-feira, com o prefeito, Marquinhos Trad (PSD), com intuito de apresentar proposta para instalar a instituição na Capital.

Concessão – O pastor do Instituto Presbiteriano, Celso José Gama, propôs ao chefe do Executivo que o município faça a concessão de um terreno da prefeitura para o estabelecimento de ensino, que tem turmas da educação básica até a pós-graduação. Marquinhos ficou de estudar a proposição.

Dengue? Zika? – Participando de agenda ao lado do governador, Reinaldo Azambuja (PSDB), ontem, o prefeito de Campo Grande comentou que atualmente “o pessoal nem se lembra mais da dengue e zika vírus” na cidade. Reflexo, segundo ele, do trabalho de prevenção que vem sendo feito no município.

Diálogo com professores – Marquinhos disse que houve nesta semana, pela 14ª vez, reunião com os professores da rede municipal de ensino, sobre reajuste salarial. O prefeito conta que o diálogo tem seguido para um ponto em comum. "Quando estiver acertado, vamos divulgar para todos".

Sem confrontos – O prefeito também destaca que Campo Grande foi a única capital onde não houve confrontos entre taxistas e profissionais de Uber. Com as mudanças que estão sendo alinhadas para regulamentar as ‘caronas pagas’, a disputa que haverá será pelos clientes, conclui Marquinhos.

Violência para todos – Ontem pela manhã, a reportagem do Campo Grande News percorreu as ruas do Carandá Bosque em busca de histórias de pessoas que já foram assaltadas ou tiveram a casa e comércio invadidos por bandidos na região. Nem foi preciso andar muito para encontrar.

Medo – Porém, moradores do Carandá Bosque que aceitaram falar da violência no bairro compartilhavam uma coisa: o medo de represálias por parte dos bandidos.

E mais medo – Um dia antes, no Iracy Coelho Netto, pai e filha foram abordados por bandidos na saída de casa e feitos reféns por quase 7 horas. Em entrevista, o pai, com olhos marejados e aparência abatida, insistia que a imprensa não falasse sobre o roubo. O motivo? Medo de represálias. Dois fatos em regiões extremas da Capital têm muito em comum e expressam: a criminalidade nos fez reféns.

(com Leonardo Rocha, Marcus Moura e Richelieu de Carlo)

Campanha tucana atrai 75% dos prefeitos
Apoio – Enquanto o MDB, antigo aliado histórico do PSDB, patinou para fechar sua candidatura do governo do Estado, os tucanos contabilizam adesões. N...
Dois anos após "febre", Uber perde motoristas
Debandada – Quase dois anos depois de chegar a Campo Grande, e depois de muita polêmica, a plataforma de transporte por aplicativo mais conhecida, a ...
Cristhiano Luna é o nosso Lula
Livre - Um dos crimes de maior repercussão em Campo Grande teve novo capítulo na semana passada. O STF concedeu liminar e soltou Cristhiano Luna, ass...
Marquinhos sugere paciência com rotatória
Comparações – O prefeito Marquinhos Trad (PSD) comparou o período de adaptação de motoristas aos semáforos na rotatória da Gury Marques com Interlago...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions