A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 19 de Março de 2019


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


04/03/2019 06:00

PM e Guarda atravessando o samba

Ângela Kempfer

Cruel - Eduardo Cury, além de vereador, é pediatra. Mas apesar da condição de homem público e médico ele não perdeu a chance de tripudiar Lula diante da morte do neto do ex-presidente. Nas redes sociais, até falou até em genocídio para sustentar o ódio contra Lula. "Nunca vou concordar que o avô Lula, presidiário, genocida responsável por muitas mortes em seu governo, tenha autorização judicial para ir a velório", postou.

Atravessando o samba - Não é só sobre armas e nomenclaturas que Polícia Militar e Guarda Municipal divergem em Campo Grande. Durante o Carnaval na Esplanada Ferroviária, os números apresentados por uma e outra corporações são muito diferentes.

Salada de números - Enquanto Guarda e organização do evento apontavam entre 35 mil e 40 mil foliões no sábado de Cordão Valu, a Polícia Militar garantia que era, no máximo, 20 mil pessoas. O Corpo de Bombeiro chutou mais baixo ainda, só 15 mil.

Faca na caveira - Pelo jeito, usar imagem com caveira nas redes sociais tem ajudado muita gente a arrumar emprego em Brasília. O mais novo contratado do governo Bolsonaro é o policial federal aposentado Mario Robson Felice Ribas, que será "coordenador do arco central da coordenação geral de fronteiras", região que abrange de Rondônia a MS.

Exato - Além da imagem no Whastapp de uma caveira, emoldurada pelo nome "Jair Bolsonaro", Mário parece um apaixonado pela PF. É exato em dias que trabalhou para lá: "Trabalhei por 33 anos, 6 meses e 17 dias na PF, sempre lotado no setor de combate ao tráfico de entorpecentes", contabilizou.

Glamour x baixo orçamento – Cresceu a expectativa sobre o desfile das escolas de samba de Campo Grande este ano por conta de um enredo em especial. A Igrejinha vai homenagear o arquiteto Luís Pedro Scalise, conhecido por projetos que não economizam no luxo.

Bons moços? - O Carnaval de 2019 foi o primeiro com lei de importunação sexual. Mas parece que os homens sul-mato-grossenses começaram a aprender que "não é não". Não houve nenhum registro do tipo nas delegacias até o domingo.

Não é não - Agora, são considerados crimes todos os atos de importunação sexual, prática de ato libidinoso contra alguém sem a sua anuência, o que significa até roubar beijo ou abusar da mão boba. A pena prevista varia de 1 a 5 anos de prisão.

Poético – “O que antes era usado para traficar drogas hoje salva vidas”, comenta a assessoria do governo de Mato Grosso do Sul em reportagem sobre aeronave doada pela Polícia Federal à Casa Militar e que passou a realizar missões de transporte de órgãos. Este ano, já foram 5 transportes do tipo.

Fica onde está - O STF (Supremo Tribunal Federal) manteve decisão e rejeitou o retorno de detentos de presídios federais para penitenciárias estaduais. A Defensoria Pública da União havia apresentado pedido de habeas corpus coletivo que buscava retirar do regime de isolamento carcerário detentos que estão há mais de dois anos em presídios federais, obrigando o retorno deles a seus estados de origem

 

Para ter confiança com milícias, diga que é de MS
Fama ruim - Fotógrafo infiltrado nas milícias cariocas revelou um dado curioso sobre a maneira como conseguiu confiança dos bandidos no Rio de Janeir...
Adeus faca na caveira para a Polícia Civil
Adeus, caveira – Publicação no Diário Oficial pode representar um adeus a um símbolo muito utilizado por delegacias e unidades especializadas: a “fac...
Multa da JBS vai aparelhar TV em Campo Grande
Da carne – Multa por irregularidades trabalhistas à empresa JBS em Mato Grosso do Sul resultou em repasse de R$ 200 mil à Fundação de Rádio e TV Educ...
Puccinelli volta com tudo nesta sexta-feira
O chefe - Os principais nomes do MDB sul-mato-grossense se reúnem hoje cedo em Campo Grande para discutir os rumos do partido. Durante o encontro, às...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions