A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 21 de Outubro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


08/01/2014 06:00

Proposta da União não agrada produtor rural

Edivaldo Bitencourt

Dia de leis – O prefeito da Capital, Alcides Bernal (PP), sancionou inúmeras leis nesta semana. Só ontem, no Diário Oficial de Campo Grande, foram 20 novas leis, que vão desde a nominação de ruas até a instituição de política de combate à obesidade.

Utilidade – A partir de agora, a Sociedade de Proteção e Bem Estar Animal Abrigo dos Bichos passa a ser reconhecida como entidade de utilidade pública estadual. Outra entidade que reconhecida é a Associação Vaquinha Social.

Polêmica – Uma lei promete causar barulho: a que proíbe a homenagem de acusados de tortura e crimes contra os direitos humanos. Eles não poderão nominar ruas e logradouros públicos. A medida pode criar um movimento para mudar os nomes de avenidas que fazem homenagem a acusados de tortura durante o regime militar.

Primeiro – O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, demorou, mas anunciou, ontem, a solução para o conflito entre índios e produtores rurais em Sidrolândia. O Governo vai pagar R$ 78 milhões pela área de 15 mil hectares.

Desagradou - O valor não agradou os produtores rurais, que esperavam, no mínimo, o dobro do valor pela área de 15 mil hectares. No mesmo encontro, o dono da Fazenda Buriti, Ricardo Bacha, já adiantou que a liberação dos recursos não lhe satisfez nenhum pouco.

casa – As benfeitorias da Fazenda Buriti, de Ricardo Bacha, teve o valor total estimados em R$ 531 mil. No entanto, segundo o presidente da Acrissul, Chico Maia, só a casa do ex-secretário estadual de Fazenda, que foi destruída pelos índios, vale os R$ 500 mil.

Coincidência – A Polícia Federal concluiu o inquérito da morte do índio Oziel Gabriel no dia 5 de dezembro, mas só divulgou o resultado ontem. A divulgação coincidiu com a reunião do Governo federal para apresentar a solução definitiva para o conflito na Reserva Buriti.

Impune – Com mais de 2,1 mil páginas e seis meses de investigação, a PF não indiciou ninguém pela morte do indígena. O crime caminha para ser mais um impune no Estado, que ganhou fama internacional com a morte de Marçal de Souza nos anos 80.

Adiado – O deputado federal licenciado Edson Giroto pode se tornar exceção na reforma do secretariado do governador André Puccinelli (PMDB). Há expectativa de que ele seja o único a não sair na reforma do secretariado no início de fevereiro. Giroto pode ficar na secretaria até abril, prazo final para a desincompatibilização para quem for disputar as eleições deste ano.

Na ativa – A governadora em exercício, Simone Tebet (PMDB), não deve voltar ao comando da Secretaria de Governo após as férias do titular. Ela vai se dedicar a pré-campanha eleitoral a partir de fevereiro. Ela sonha disputar o Senado.

(colaboraram Lidiane Kober e Leonardo Rocha)

Crise da JBS rouba atenção de Temer
Foco na JBS - No Governo do Estado, a vinda do presidente Temer a Mato Grosso não teve a mobilização típica de visitas anteriores de presidentes. Na ...
Temer oscilou sobre decisão de vir para agenda em MS
Às pressas – A vinda do presidente Michel Temer para Mato Grosso do Sul neste sábado foi confirmada em cima da hora. A coluna apurou que tudo indicav...
Detran de MS avalia adesão a parcelar multa no cartão
Ainda não sabemos – O Detran de Mato Grosso do Sul avalia se vai fazer convênios que permitam parcelamento de multas no cartão de crédito. A autoriza...
Delcídio foi "fantasma" em sessão que manteve Aécio
Lembrado – O ex-senador e ex-petista Delcídio do Amaral está longe do Senado desde maio de 2016, quando foi cassado, mas nesta terça-feira foi bastan...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions