ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 25º

Jogo Aberto

SP reduz ICMS da gasolina e “fica mal” com outros governos

Por Jhefferson Gamarra, Adriel Mattos e Anahi Zurutuza | 28/06/2022 06:00

Pegou mal – A decisão do governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, em antecipar a redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) da gasolina de 25% para 18%, atendendo a Lei Complementar 194, sancionada pelo presidente Jari Bolsonaro (PL), causou certo mal-estar entre governantes e secretários de fazenda de diversos Estados, que buscavam uma saída jurídica conjunta. Entre eles, Mato Grosso do Sul. A ação do governador paulista foi vista como eleitoreira pelos demais gestores, tendo em vista que Garcia é pré-candidato a reeleição ao cargo nas eleições de outubro.

Por aqui – Consultado pela coluna, o secretário de Fazenda de Mato Grosso do Sul, Luiz Renato Adler, afirmou que, assim como em outros estados, vai aguardar o resultado da reunião que será realizada na manhã de hoje (28), com o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, para prestar informações um pouco mais precisas sobre o cenário. O ministro é relator da ação apresentada pelo presidente Jair Bolsonaro pedindo para que sejam suspensas todas as leis estaduais que tratam do ICMS incidente sobre combustíveis.

Visita ilustre – A Governadoria recebeu na segunda-feira (27) a imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, padroeira de Mato Grosso do Sul. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e a primeira-dama Fátima Silva Azambuja estiveram com o reitor do santuário, padre Reginaldo Padilha, e a coordenadora do Conselho Pastoral, Elaine Trentin.

Fé – A santa virou padroeira em 2017 e a imagem foi presenteada a Reinaldo, que a deixará na Governadoria. “Uma das decisões que mais me emocionou foi sancionar a lei dentro do santuário. É inexplicável. Tem coisas que não se explica. Eu tenho fé, pratico. Acho que a gente tem que se apegar, se fortalecer, porque são muitos os desafios. A pandemia foi um exemplo. Foi preciso ter perseverança, discernimento, responsabilidade porque convivemos com algo novo, que levou muitas vidas, enfrentando pessoas que não acreditam na ciência”, declarou.

Celebração – A visita dos membros do santuário foi no Dia de Nossa Senhora de Perpétuo Socorro, também para agradecer a elevação da santa à padroeira do Estado. “É um momento oracional, a Nossa Senhora do Perpétuo do Socorro é a padroeira oficial de Mato Grosso do Sul no ano de 2017, no dia 27 de dezembro de 2017. Isso foi sancionado no solo sagrado do Santuário do Perpétuo Socorro, em dia de novena, e hoje sendo Dia da Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é uma alegria vir aqui na Governadoria celebrar esse momento e agradecer a Deus o dom da vida e pedir que a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro ilumine o nosso Estado, tão promissor e acolhedor”, disse o padre Reginaldo.

Tereza Cristina ao lado de Bolsonaro em evento para entrega de títulos em assentamento de MS, em março deste ano (Foto: Alan Santos/PR)
Tereza Cristina ao lado de Bolsonaro em evento para entrega de títulos em assentamento de MS, em março deste ano (Foto: Alan Santos/PR)

Militar de novo – Em live, realizada na noite de domingo (26), o presidente Jair Bolsonaro (PL) anunciou que vai lançar nos próximos dias o ex-ministro da Defesa, Walter Braga Netto, como pré-candidato a vice na sua chapa à reeleição e citou a sul-mato-grossense, Tereza Cristina (PP). "Temos outros excelentes nomes como a Tereza Cristina [deputada federal e ex-ministra da Agricultura]. O general [da reserva Augusto] Heleno [ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional] quase foi meu vice lá atrás, entre tantos nomes de pessoas maravilhosas, fantásticas que vinham sendo trabalhada ao longo do tempo. Mas vice é só um", afirmou. Tereza era cotada como vice na chapa por parlamentares do Centrão, mas apesar da fidelidade dela, Bolsonaro prefere novamente um militar da reserva do Exército.

Lógica – Na avaliação do presidente, Tereza é bem articulada, o que joga contra ele num eventual processo para derrubá-lo. A análise é de Nonato Viegas, do site O Bastidor. A aliados, Bolsonaro teria admitido que, caso fosse instaurado impeachment contra ele, a sul-mato-grossense poderia ser convencida a apoiar sua deposição. Ele até citou que preferia Damares Alves, ex-ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, como outra opção de vice, já que ela não tem trânsito no Congresso Nacional.

Ela não – Emedebistas do Norte e Nordeste seguem trabalhando contra a homologação da pré-candidatura da senadora Simone Tebet (MS) à Presidência, ainda conforme o jornalista Nonato Viegas, do site O Bastidor. O senador Renan Calheiros (AL) e os ex-senador Eunício Oliveira (CE) e Romero Jucá (RR) defendem que o MDB não tenha candidatura própria, assim liberando os filiados a apoiar quem quiser. A convenção do partido está prevista para julho.

Motivos de força maior – O deputado federal e pré-candidato a reeleição, Dagoberto Nogueira (PSDB), cancelou todas as agendas de atividades parlamentares e de pré-campanha da semana para cuidar da mãe, em São José do Rio Preto (SP). A matriarca da família, Roseli Nogueira, de 90 anos, foi internada às pressas no fim de semana, após sofre um infarto. De acordo com o parlamentar o estado de saúde dela é considerado muito grave.

Apoio – A Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) se manifestou, nesta segunda-feira (27), sobre conflitos entre indígenas e a PM (Polícia Militar) que foram registrados em fazendas de Amambai e Naviraí, sendo que um das ações terminou na morte de guarani-kaiowá. Embora lamente os “incidentes”, a entidade tornou público “seu apoio integral à ação coordenada pela Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública, por meio do Batalhão de Choque da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, acionado para atender ocorrência de crime contra o patrimônio e contra a vida, de competência do Estado”.

Nos siga no Google Notícias