A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 24 de Setembro de 2019

05/09/2019 06:41

Declive, que deixava parte do terreno abandonado, virou piscina dos sonhos

No bairro Planalto, em Campo Grande, a residência ganhou um antes e depois surpreendente

Thailla Torres
Espaço nos fundos virou área de lazer com piscina. (Foto: Paulo Francis)Espaço nos fundos virou área de lazer com piscina. (Foto: Paulo Francis)

Como há muito anos a família se mudou para um terreno com declive nos fundos, o sonho de ter uma área de lazer parecia impossível. Disposto a acabar com a área que só era utilizada como lavanderia e depósito de materiais sem uso, o arquiteto Régis Willian Moraes elaborou um projeto considerando o desnível e devolveu a família momentos de diversão.

No bairro Planalto, em Campo Grande, a residência ganhou um antes e depois surpreendente. “A casa fica na região da Orla Morena, onde há terrenos com declives maiores” explica o arquiteto. “O subsolo era aproveitado somente para lavanderia e acumulo de coisas que não eram utilizadas. A partir disso, a ideia era criar uma piscina aproveitando esse desnível”.

Da garagem da residência até o chão, o desnível tinha cerca de 2,60 metros. “É quase o tamanho de um pé direito de uma casa”, diz Régis. “Por isso, para dar início, foi preciso analisar todas as questões de drenagem e estrutura da casa”.

Antes da reforma e depois da reforma. (Foto: Régis Moraes)Antes da reforma e depois da reforma. (Foto: Régis Moraes)

Régis reforça que antes de tomar a decisão de construir em área semelhante a essa, é preciso consultar um arquiteto e um engenheiro para fazer uma estimativa do que é possível ser feito. Muitas vezes, nivelar um terreno com declive muito acentuado pode ser caro, mas elaborar um projeto considerando o desnível do terreno requer também precisão por parte do arquiteto. “Sempre visando o aproveitamento adequado do terreno e também a segurança, impedindo erosões e até mesmo desmoronamento de terra”.

No projeto, a lavandaria foi realocada assim como o jardim suspenso que estava há algum tempo sem vida no ambiente. A família só descia às escadas para lavar roupa ou guardar algum objeto. “Então transformamos toda parte debaixo da casa, com churrasqueira, lavabo e piscina”.

O ponto alto é a piscina que há muito tempo se tornou um sonho. “Prova disso é que todo evento que acontece na casa, agora a família tem o prazer de reunir todos na área da piscina”.

Para deixar o espaço mais aconchegante, a piscina ganhou cascata com pedras impermeabilizadas, para impedir que a umidade danifique as pedras ou cria-se mofos. “Também escolhemos um piso em tom amadeirado, para dar mais aderência. Muitas vezes esse tipo de piso é temido, porque alguns, ao longo do tempo, ganham aspecto encardido. Mas tudo depende da manutenção e também da escolha do tom para cada área”.

Ao todo foram três meses de obra, o que garantiu a família uma área de lazer para receber amigos com conforto e ao mesmo tempo beleza. Uma obra semelhante, com projeto, mão de obra e materiais, “custou em torno de R$ 50 mil”, afirma o arquiteto.

Tem algum projeto de arquitetura bacana? Manda para o Lado B no Facebook, Instagram ou e-mail: ladob@news.com.br

Detalhe dos fundos que antes abrigava a lavanderia. (Foto: Paulo Francis)Detalhe dos fundos que antes abrigava a lavanderia. (Foto: Paulo Francis)
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.