A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 24 de Setembro de 2019

03/09/2019 10:17

Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é tombado como patrimônio

A Paróquia da Igreja localizada na Afonso Pena remonta ao ano de 1939 e conjunto arquitetônico foi inspirado na Basílica de Santo

Izabela Sanchez
Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Campo Grande (Foto: Arquivo/Campo Grande News)Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Campo Grande (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

Parte das paredes foi construída em 1939, quando a Europa entrava em guerra e agora integram conjunto arquitetônico do Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, de Campo Grande, o mais novo patrimônio histórico do município. Por seu valor histórico e arquitetônico, o conjunto do santuário teve a proposta de tombamento aprovada pela Prefeitura, que divulgou o decreto no Diário Oficial desta terça-feira (3).

A igreja localizada na Avenida Afonso Pena foi inaugurada no dia 3 de agosto de 1941. A construção da paróquia, ainda assim, começou há 80 anos, em 1939, projeto do Bispo de Corumbá, Dom Vicente Priante. A edificação ficou sob os cuidados da Congregação do Santíssimo Redentor dos Missionários Redentoristas.

O santuário é a construção, entre as igrejas, mais antiga de Campo Grande. Prefeito da cidade à época, Joaquim Teodoro de Faria foi o responsável técnico do projeto, inspirado na arte bizantina da Basílica de Santo Apolinário em Classe, localizada em Ravena, cidade italiana.

Em 1999, a Igreja foi “elevada” a Santuário, que só ocorre quando há apreço pelas relíquias do espaço - normalmente o padroeiro de uma cidade ou Estado – e pela aglomeração de devotos. Em 2017, projeto de lei aprovado determinou Nossa Senhora do Perpétuo Socorro como “Padroeira” de Mato Grosso do Sul. Com isso, a igreja foi considerada Santuário Estadual.

Interior da Igreja (Foto: Arquivo/Campo Grande News)Interior da Igreja (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
Foto aérea do Santuário (Foto: Arquivo/Campo Grande News)Foto aérea do Santuário (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

Decreto – O conjunto compreende a Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, o Velário, e o Prédio da Antiga Casa Paroquial dos Padres Redentoristas, localizado na Rua Amando de Oliveira.

A partir de agora, está proibido “demolir, destruir, alterar, mutilar ou transformar”, “sem prévia licença do Poder Executivo Municipal”, além de “reparar, pintar ou restaurar”, qualquer espaço ou objeto do conjunto arquitetônico.

A mesma proteção vale para o entorno: área compreendida num raio de 25 metros, a partir da de qualquer parede do perímetro da edificação da igreja; toda a área compreendida num raio de 5 metros a partir da projeção das paredes que compõem o perímetro do velário e toda a área compreendida num raio de 20 metros a partir da prumada das paredes que compõem o perímetro da Antiga Casa Paroquial dos Padres Redentoristas.

Nas áreas definidas como entorno, está proibido implantar mobiliários urbanos, a exemplo de postes, torres e hidrantes, com altura superior a 1 metro. A exceção é destinada aos postes de iluminação e sinalizações de interesse público.

imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.