ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, TERÇA  09    CAMPO GRANDE 21º

Artes

Aos 9 anos, Cecília vai para a Escola Bolshoi

Por Paula Maciulevicius | 24/10/2012 09:59
“Não conhece nem mi nem fá, mas inclina o corpo para cá e para lá”. Cecília Bassetto Garcia de Freitas, 9 anos, bailarina sul-mato-grossense selecionada para a Escola de Teatro Bolshoi
“Não conhece nem mi nem fá, mas inclina o corpo para cá e para lá”. Cecília Bassetto Garcia de Freitas, 9 anos, bailarina sul-mato-grossense selecionada para a Escola de Teatro Bolshoi

Esta menina tão pequenina já é bailarina. Inclina o corpo para cá e para lá, fecha os olhos e sorri. Roda, roda, roda, com os bracinhos no ar, não fica tonta e nem sai do lugar. Se na pirueta Cecília Bassetto Garcia de Freitas continua no lugar, é pela pontinha dos pés que ela chega a Escola do Teatro Bolshoi. Aos 9 anos ela foi selecionada para a mais reconhecida escola de Ballet no Brasil. A única do Teatro Bolshoi fora da Rússia, em Joinville, Santa Catarina.

Nascida em Três Lagoas, Cecília é a própria “A Bailarina”, do poema infantil de Cecília Meirelles. Não conhece nem lá, nem si, mas fecha os olhos e sorri, junto dela outras 15 bailarinas foram escolhidas na seleção do último final de semana, na cidade catarinense. Dividida em três fases, foi na leveza de um pliè ou pelo brilhantismo e precisão de um grand jetè que a bailarina sul-mato-grossense venceu entre 1,6 mil outras bailarinas.

Há seis anos Cecília mora em Campo Grande e há três, se dedica do Ballet na escola Isadora Duncan.  “Todo mundo falava que era para eu tentar, que eu tinha muitas chances de passar. Isto me incentivou”, disse a pequena.

Bailarinos do país inteiro e até de países vizinhos, como a Argentina, se inscrevem para a seleção. Durante três dias de seleção, os inscritos passaram por uma bateria de testes. A primeira etapa era de avaliação médica-fisioterápica, onde uma junta de profissionais da saúde e da dança analisam postura, estrutura e habilidades físicas, motoras, frequência cardíaca e respiratória, percentual de massa corpórea, força, musculatura e articulações.

A segunda fase é a artístico-musical e cognitiva, quando os bailarinos dão o melhor de si nas habilidades técnicas e artísticas, musicalidade, projeção cênica e também mostram seu desempenho intelectual em provas de português e matemática. Os aprovados nestas duas etapas vão para a terceira e última, que consiste em mais uma avaliação artística.

De sapatilha, coque e saia de tutu, Cecília vai se mudar com a família para Joinville para começar o curso que tem duração de oito anos. Na grade, a pequena bailarina vai estudar dança Clássica; prática Cênica; Ginástica Específica; Ginástica Acrobática; Dança Popular Histórica; Educação Musical e Rítmica; Repertório; Folclore Brasileiro; Dança a Caráter; Dança Contemporânea; Teatro; Piano; História da Arte; Literatura Musical; Dueto; História da Dança.

Inaugurada no Brasil em 2000, a Escola Bolshoi formou até hoje 140 bailarinos, sendo 107 destes, profissionais já empregados na área da dança em diversos países.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário