A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

05/02/2017 07:15

Da casa de 7 andares aos palcos, Ivan viaja com a família falando sobre teatro

Thailla Torres
Ivan é ator, escritor, diretor teatral e produtor cultural na Bolívia.Ivan é ator, escritor, diretor teatral e produtor cultural na Bolívia.

São 35 anos trabalhando com teatro, em contato direto com a comunidade. Fora e dentro dos palcos, tudo que o boliviano Ivan Nogales, de 53 anos, sempre buscou foi a troca de experiências. Para realizar um sonho, finalmente ele conseguiu programar uma viagem em família que nunca tinha acontecido. Na passagem pelo Brasil, e a caminho do Paraná, ele parou em Campo Grande a convite de amigos e dividiu o que sabe sobre o teatro sul-americano com profissionais e interessados em arte

"Eu viajo há muito anos, minha esposa que também faz parte do teatro, viaja. Mas lamentavelmente quase nunca viajamos juntos. Temos dois filhos e nunca havia feito isso em família. Decidimos ir a Buenos Aires, porque tem um ar europeu. Como temos amigos em muitos lugares, olhando o mapa pensamos que deveríamos ir a Cataratas do Iguaçu", conta.

Em contato com amigos de Campo Grande, Ivan diz que foi carinhosamente convidado a dividir suas experiências. "Toda viagem tem uma natureza linda, mas creio que o melhor é quando há experiências coletivas em cada lugar, conversando e fazendo novos amigos", menciona.

Iavn em encontro com Jerry, Márcio e Rodrigo na Bolívia. (Foto: Paulo Higa)Iavn em encontro com Jerry, Márcio e Rodrigo na Bolívia. (Foto: Paulo Higa)
Em Campo Grande, entre os amigos Andréa Freire e Fernando Cruz. (Foto: Thailla Torres)Em Campo Grande, entre os amigos Andréa Freire e Fernando Cruz. (Foto: Thailla Torres)

Na cidade, Ivan é amigo de Jerry Espíndola, Márcio de Camillo e Rodrigo Teixeira, que estiveram na casa do diretor na Bolívia, durante o projeto "O caminho das canções". Mas foi a convite de Fernando Cruz, diretor do Teatro Imaginário Maracangalha, que Ivan dedicou 2 dias às conversas por aqui.

Ator, escritor, diretor teatral e produtor cultural na Bolívia, Ivan comanda a Fundação Compa, em El Alto, cidade ao lado de La Paz, realizando um trabalho transformador através da arte com jovens e crianças. Em 1989 ele fundou o Teatro Trono, grupo com uma proposta política, independente, de vanguarda e revolucionário.

Em Campo Grande, Ivan ministrou a oficina com tema "Descolonização do corpo", assunto que foi transformado em livro. É uma metodologia baseada na busca do equilíbrio com o corpo. "Trata de romper o individualismo, consumo e egocentrismo. Seria como restaurar e ensinar tudo aquilo que tem a ver com comunidade. E assim, nos damos conta que o nosso próprio corpo é uma comunidade. E isso vemos no teatro, quando encontramos com vários corpos, falamos de comunidades que se encontram", explica. 

Para Ivan, a vida em comunidade é a chance de ter uma nova dimensão do mundo e do próprio corpo. "É muito lindo ter essa troca e agradeço toda essa oportunidade. Com tantas experiências, sentimos algo estranho as vezes, um pouco de medo, porém de cada lugar que saímos, sabemos que estamos encontrando pessoas que desejam nos abraçar e isso é o mais importante".

Em 1998, Ivan surpreendeu quando passou a construir a própria casa que hoje é sede da Fundação Compa. A residência de 7 andares foi desenhada por ele e surpreende pela mistura de cores, texturas e materiais da alvenaria a madeira.

Casa tem 7 andares e foi desenhado por Ivan. Casa tem 7 andares e foi desenhado por Ivan.
Vista de longe, arquitetura virou atração turística. Vista de longe, arquitetura virou atração turística.

"Ela é toda a base de reciclagem de muitas casas antigas. Hoje é uma das casas mais visitadas. Desenhei, mas não sou arquiteto. Até porque os arquitetos são interessantes, alguns têm ideologia de esquerda, mas na hora de fazerem algo, são muito conservadores, acabam sendo escravos da modernidade", avalia.

Ao lado de Ivan, o ator Fernando Cruz, conhecido por fazer arte pública, de graça, para quem quiser ver, comemora a presença do boliviano como fonte e exemplo de transformação. "Além trocar experiência dentro da nossa área de trabalho, de um teatro feito com a comunidade e acessível para todas pessoas, é algo que transforma um meio. Constrói e interfere, muda a vida das pessoas e essas pessoas é que podem mudar o seu mudo", comenta o ator.

A ideia também nessas trocas é fortalecer uma relação cultural com outros países latinos. "É quebrar barreiras com a fronteira. Se olhar, se tocar, conversar e fortalecer nossa experiência de vida. Receber o Ivan é mostrar a importância de quebrar os preconceitos de que existe país inferior e superior, na verdade somos apenas países diferentes e são as diferença nos iguá-la e mostra que somos todos latinos".

Ivan Nogales esteve em Campo Grande e estará em Corumbá nos dias 5,6 e 7 de fevereiro, ministrando oficinas no Moinho Cultural.

Curta o Lado B no Facebook.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.