A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 29 de Maio de 2017

05/04/2016 06:56

Família estaciona motorhome na Afonso Pena com café e troca de arte por comida

Adriano Fernandes
O motorhome de família, que nunca pegou a estrada se tornou ponto de cultura gratuito, aos finais de semana. (Foto: Fernando Antunes)O motorhome de família, que nunca pegou a estrada se tornou ponto de cultura gratuito, aos finais de semana. (Foto: Fernando Antunes)

Do motorhome que pouco saia da garagem, para uma grande aventura artística na Afonso Pena. Com artes plásticas, doação de livros e boa música, para quem quiser ouvir e até tocar, os altos da avenida virou o destino certo do ônibus “Caravelle de Reves”, sempre nas manhãs de domingo.

A ideia do projeto é recente, surgiu há pouco mais de um mês, por iniciativa do músico Kayo César de Oliveira, de 26 anos e da mãe, a artista plástica Érica Rando de Oliveira, de 52. Há aproximadamente seis anos, eles compraram um ônibus, que foi transformado no motorhome da família.

Kayo é músico e a mãe é artista plástica. Foi ideia dos dois criar o projeto. (Foto: Fernando Antunes)Kayo é músico e a mãe é artista plástica. Foi ideia dos dois criar o projeto. (Foto: Fernando Antunes)

“Mas a reforma só foi concluída no final do ano passado e, como sempre viajamos muito pouco, ele continuou ficando´encostado' na garagem”, brinca Kayo. Desde então, ele e a mãe, pensam em como encontrar uma nova utilidade para o ônibus. A inspiração estava, justamente, na veia artística dos dois.

“Nós sempre sentíamos a falta de um ponto de encontro onde músicos e artistas, pudessem se reunir e qualquer pessoa também pudesse ir apreciar esse tipo de trabalho. Então decidimos unir um pouco do que a gente sabe fazer e partimos para rua, para ver o que acontece”, comenta.

O “Caravelle de Reves” também tem o apoio do pai, Rovilson César de Oliveira, de 56 anos, e da irmã, Monise Gabriela de Oliveira, de 25. “Ela cuida mais da parte logística, quanto a estrutura ou qualquer item que venha faltar. Meu pai fica responsável pela parte de manutenção e do próprio transporte no motorhome”, explica.

Em português, o nome do projeto também é o apelido do motorhome, significa Caravela dos Sonhos, uma homenagem à descendência francesa do pai. “Mas também uma forma de conduzir o público sobre os caminhos que a arte pode proporcionar”, completa.

O estacionamento do Parque das Nações Indígenas é o ponto certo do motorhome nas manhãs de domingo. (Foto: Arquivo Pessoal) O estacionamento do Parque das Nações Indígenas é o ponto certo do motorhome nas manhãs de domingo. (Foto: Arquivo Pessoal)
Do MPB a cover dos Beatles os cantores, as apresentações são abertas ao público. (Foto: Arquivo Pessoal) Do MPB a cover dos Beatles os cantores, as apresentações são abertas ao público. (Foto: Arquivo Pessoal)

Os encontros acontecem sempre aos domingos, a partir da 7 horas da manhã, com opções de práticas artísticas e musicais. À disposição de quem chega, ficam os instrumentos, desde o violão e o violino, até saxofone. Quem preferir, pode levar um próprio instrumento de casa.

Para quem não quiser se arriscar nas notas musicais, Kayo adianta que ele e alguns músicos parceiros e amigos aproveitam para tocar e têm um repertório grande, com clássicos do Tom Jobim até cover dos Beatles.

Entre as árvores, o varal do Fio do Conhecimento tem dezenas de livros pendurados para troca.

Nas artes plásticas, o público encontra telas, para que qualquer um possa chegar e pintar. Mas são mesmo as crianças que mais usam a criatividade.

As obras feitas por Erica também ficam em exposição e são trocadas por cestas básicas. “A pessoa pode escolher o quadro e trazer a cesta básica no domingo seguinte. Funciona na base da confiança, justamente, para conscientizar as pessoas sobre o conceito de filantropia”, conta Kayo.

As cestas arrecadadas são doadas para instituições como Centro Espirita Obreiros do Bem, o asilo Casa de Abrão e a AACC (Associação Amigos do Câncer).

Quem quiser expor suas obras, tocar um instrumento ou apenas tomar um cafézinho, o motorhome fica estacionado nos altos da Avenida Afonso Pena, próximo a rotatória do Batalhão de Choque, no estacionamento do Parque das Nações Indígenas, sempre aos domingos, das 07h até o 12h30.

Outras informações pelo 9172-6886 ou 9912-7284.

Curta a página do Lado B no Facebook.

Qualquer um pode chegar e tocar um instrumento, do violão ao violino. (Foto: Fernando Antunes)Qualquer um pode chegar e tocar um instrumento, do violão ao violino. (Foto: Fernando Antunes)
Por dentro, o ônibus adaptado é igual aos convencionais motorhomes mas nunca pegou a estrada. (Foto: Fernando Antunes)Por dentro, o ônibus adaptado é igual aos convencionais motorhomes mas nunca pegou a estrada. (Foto: Fernando Antunes)
Sesc Horto recebe espetáculo teatral gratuito na próxima semana
Entre a próxima quinta-feira (1) e sábado (3), o Teatro Prosa do Sesc Horto recebe o espetáculo "Três Vírgula Quatro Graus Na Escala Richter", da Com...
MS participa no mês de julho de feira de artesanato em Pernambuco
Mato Grosso do Sul participa em julho, entre os dias 6 e 16, em Olinda (PE), da Feira Internacional de Negócios do Artesanato, maior evento do setor ...



Interessante o projeto! Campo Grande é carente em projetos culturais, tenho certeza que será um sucesso! Parabéns pela iniciativa!
 
Ursula em 05/04/2016 15:38:09
imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.